Vale (VALE3), Petrobras (PETR4), Itaú (ITUB4) e outros destaques desta terça (6)

Vale (VALE3), Petrobras (PETR4), Itaú (ITUB4) e outros destaques desta terça (6)
Vale (VALE3), Petrobras (PETR4), Itaú (ITUB4) e outros destaques desta terça (6)
Vale, VALE3, Petrobras, PETR4, Itaú Unibanco, ITUB4, Cielo, CIEL3, Empresas, Mineradora, Mercados, Radar do Mercado
Vale (VALE) esclarece ao mercado sobre futuro do presidente da companhia (Imagem: Reuters/Washington Alves)

Vale (VALE3) avalia a eventual renovação do contrato do atual presidente, Eduardo Bartolomeo, ou a realização de processo sucessório e a previsão de prejuízo em operação da Petrobras (PETR4) pelo Tribunal de Contas da União (TCUsão alguns dos destaques corporativos desta terça-feira (6).

Confira os principais destaques desta terça-feira (6)

Vale (VALE3) dá novos esclarecimentos sobre futuro presidente

Vale (VALE3) afirmou nesta terça-feira (6) que está avaliando a eventual renovação do contrato do atual presidente, Eduardo Bartolomeo, ou a realização de processo sucessório.

A decisão sobre o futuro da presidência da mineradora, que é de competência do conselho de administração, pode ocorrer até o término previsto do mandato em vigor. O contrato de Bartolomeo termina em 26 de maio de 2024.

Petrobras (PETR4) pode ter quase R$ 500 milhões de prejuízo em operação, vê TCU

Tribunal de Contas da União (TCU), por meio do ministro Benjamin Zymler, solicitou explicações da Petrobras (PETR4) sobre um contrato firmado com a Unigel, que pode acarretar um prejuízo de quase R$ 487 milhões para a estatal.

O caso foi revelado pelo portal Poder360. O contrato, assinado em dezembro e voltado à produção de fertilizantes por encomenda nas fábricas da Bahia e de Sergipe, foi assinado em dezembro de 2023, tem um valor total de R$ 759,2 milhões e se refere às unidades de Camaçari (BA) e Laranjeiras (SE).

Itaú Unibanco (ITUB4)

  • Lucro de R$ 9,4 bilhões no 4T23, acima das expectativas

Itaú Unibanco (ITUB4) encerrou o quarto trimestre de 2023 com lucro líquido recorrente de R$ 9,4 bilhões, alta de 22,6% em relação ao mesmo período de 2022, mostra documento enviado ao mercado na segunda-feira (5).

O número ficou acima do esperado pelo compilado da Bloomberg, que aguardava lucro de R$ 9,2 bilhões.

Já em 2023, o Itaú registrou resultado recorrente de R$ 35,6 bilhões, alta de 15,7% em relação ao ano anterior, e retorno recorrente sobre o patrimônio líquido (ROE) médio anualizado de 21,0%.

  • Banco vai recomprar até 75 mi de ações, além de pagar R$ 1,12 por ação em dividendos

O Itaú pagará R$ 1,125125 em dividendos por ação, mostra documento enviado ao mercado na segunda-feira (5).

Segundo o documento, o pagamento ocorrerá 08 de março de 2024, tento como base de cálculo a posição acionária final registrada em 21 de fevereiro de 2024.

O conselho de administração aprovou, ainda, o pagamento, também em 08 de março, dos juros sobre o capital próprio já declarados.

Cielo (CIEL3)

  • Ação deve deixar de ser uma companhia listada no Novo Mercado da B3

Cielo (CIEL3) deve deixar de ser uma companhia listada no Novo Mercado da B3, caso a oferta de compra de ações lançada por seus controladores (Banco do Brasil Bradesco) seja bem-sucedida.

Segundo fato relevante divulgado na segunda-feira (5), os bancos estão dispostos a pagar R$ 5,35 por ação da Cielo para adquirir a totalidade dos papéis em circulação.

O valor ofertado representa um ágio de apenas 6,36% sobre os R$ 5,03 com que o papel fechou hoje. Juntos, Banco do Brasil e Bradesco detêm 58,71% do capital da Cielo, que é representado por um total de 2,717 bilhões de ações ordinárias.

Mont Capital - Carteira Administrada

  • Lucro de R$ 480,8 milhões no 4T23

Cielo (CIEL3) reportou lucro líquido recorrente de R$ 480,8 milhões no quarto trimestre de 2023, queda de 1,9% em relação ao mesmo período de 2022, mas avanço sequencial de 5,3%, mostra relatório divulgado na segunda-feira (5).

Os números superaram as projeções do mercado. Segundo dados levantados pela Bloomberg, o consenso esperava ganhos na ordem de R$ 325 milhões.

De acordo com a companhia, a linha foi impactada por menores volumes na divisão Cielo Brasil e maiores investimentos no time comercial e no processo de transformação operacional. Tais impactos foram parcialmente compensados pela melhora no resultado financeiro, disse.

  • R$ 410 milhões em juros sobre capital próprio aprovado

Cielo aprovou em reunião do conselho de administração, o pagamento de R$ 410 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP) adicionais, à conta de reserva de lucros.

O valor estimado bruto por ação, passível de alteração até a data-base, é de R$ 0,15198153370, mostra o comunicado divulgado aos acionistas.

Terão direito aos JCP declarados os acionistas com posição acionária na base da Cielo em 15 de março de 2024. As ações da empresa passarão a ser negociadas ex-JCP em 18 de março de 2024, inclusive.

Irani (RANI3) cancela o equivalente a 2,65% de suas ações

Irani Papel e Embalagens (RANI3) comunicou, na segunda-feira (5), o cancelamento de 6,5 milhões de ações ordinárias que eram mantidas em tesouraria. Com isso, o capital social da empresa passou a ser representado por 239,8 milhões de ações, volume 2,65% menor que o inicial.

conselho de administração também determinou, hoje, a extinção do programa de recompra de ações aprovado em 17 agosto de 2022, quando o papel fechou cotado em R$ 6,92. Desde então, apesar da natural volatilidade do mercado, suas ações se valorizaram progressivamente.

Natura (NTCO3) estuda separar Natura&Co Latam e Avon em duas empresas

conselho de administração autorizou a diretoria da Natura (NTCO3) a avaliar uma possível separação da Natura & Co Latam e da Avon, criando, assim, “duas companhias de beleza independentes e de capital aberto, a fim de gerar ainda mais valor para os acionistas”, segundo o fato relevante divulgado na segunda-feira (5).

De acordo com a empresa, a eventual separação atenderia à estratégia do grupo de “simplificar sua estrutura corporativa e proporcionar mais autonomia para suas unidades de negócios, após as recentes vendas de Aesop e The Body Shop.”

Energisa (ENGI11) prevê investimentos de R$ 6 bi

A Energisa (ENGI11) informou em comunicado ao mercado, na segunda-feira (6), que prevê investir R$ 6,1 bilhões para este ano.

Segundo a companhia, serão R$ 4,9 bilhões para distribuidoras, R$ 513,5 milhões para transmissão, R$ 430 milhões para a nova marca do grupo, a (re)energisa, R$ 100 milhões para distribuição de gás natural e o restante, R$ 87,2 milhões, para holdings e outros empresas.

Unipar (UNIP6) indica novo Diretor Presidente

O Conselho de Administração da Unipar (UNIP6) indicou Rodrigo Cannaval, atual diretor executivo industrial, para assumir o cargo de Diretor Presidente da companhia no lugar de Mauricio Parolin Russomanno.

Segundo fato relevante divulgado ao mercado na segunda-feira (5), a mudança terá efeitos a partir de de abril de 2024, após a próxima Assembleia Geral Ordinária (AGO).