calendar
Notícias

98 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Valdemar Costa Neto segue preso após audiência de custódia

Valdemar Costa Neto segue preso após audiência de custódia

Política 26 segundos atrás
Visitar site arrow
Valdemar Costa Neto segue preso após audiência de custódia

O presidente do PL (Partido Liberal), Valdemar Costa Neto, seguirá preso em Brasília. O ex-deputado federal passou por audiência de custódia na tarde desta 6ª feira (9.fev.2024). A informação foi confirmada ao Poder360 pelo advogado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) Fabio Wajngarten.

O dirigente partidário foi preso na 5ª feira (8.fev) por posse ilegal de armas durante a operação Tempus Veritatis, que investiga uma suposta tentativa de golpe de Estado. O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) é um dos alvos.

“A não soltura do presidente Valdemar nesse momento só escancara ainda mais o momento que o Brasil vive. Minha solidariedade a ele, bem como à sua esposa e familiares. Vergonhoso”, disse Wajngarten, em sua conta no X (ex-Twitter).

Valdemar passou a noite na Superintendência da PF (Polícia Federal), em Brasília e realizou a audiência no prédio, por videoconferência.

Além da arma, a PF apreendeu uma pepita de ouro com o presidente do PL, segundo o advogado de Bolsonaro.

Em nota divulgada na 5ª feira (8.fev), a defesa do presidente do PL disse que a pepita de ouro “não configura delito segundo a própria jurisprudência” e que “arma é registrada, tem uso permitido, que pertence a um parente próximo e que foi esquecida há vários anos” no apartamento do ex-deputado.

“Em outras palavras: Como pode alguém ser detido por ser portador de uma pedra guardada há anos como relíquia e que segundo a própria auditoria da Polícia Federal vale cerca de R$ 10.000?”, perguntou.

OPERAÇÃO TEMPUS VERITATIS

O dirigente partidário é um dos alvos de operação da PF que apura uma suposta tentativa de golpe de Estado em 2022.  

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) também é um dos alvos da operação autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele foi obrigado a entregar o seu passaporte. 

Veja abaixo os principais alvos da operação:

Mont Capital - Carteira Administrada

Os agentes cumprem 33 mandados de busca e apreensão, 4 mandados de prisão preventiva e 48 medidas alternativas, como a proibição de manter contato com os demais investigados, a proibição de se ausentarem do país, com entrega dos passaportes no prazo de 24 horas e suspensão do exercício de funções públicas. 

As buscas são realizadas no Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Goiás e no Distrito Federal. As medidas judiciais foram expedidas pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Em nota, a PF disse que a operação apura “organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito, para obter vantagem de natureza política com a manutenção do então presidente da República no poder”.

Veja imagens das buscas em Brasília registradas pelo repórter fotográfico do Poder360 Sérgio Lima:


Leia mais: 

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados