Ucranianos pedem que governo Lula não os traia

Ucranianos pedem que governo Lula não os traia
Ucranianos pedem que governo Lula não os traia

A Representação Central Ucraniano Brasileira, principal organização da comunidade no país, divulgou um comunicado em que manifesta preocupação com a vinda do chanceler russo, Serguei Lavrov (foto), ao Brasil.

Na nota, o grupo afirma o ministro russo “representa um país agressor de outro país soberano”.

“O ministro Lavrov representa o seu presidente, Vladimir Putin, que tem um mandado de prisão emitido pelo Tribunal Penal Internacional por sequestrar crianças ucranianas do território da Ucrânia e levá-las para a Rússia”, diz o texto assinado pelo presidente da entidade, Vitório Sorotiuk.

Nesta segunda-feira (17), Lavrov deve se encontrar com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira. Além de reuniões no Itamaraty, o russo provavelmente se encontrará o presidente Lula.

No comunicado, a organização da comunidade pede que o governo “não traia as esperanças” dos cidadãos de origem ucraniana que moram no país.

“O corpo, a alma e o sangue da Ucrânia integram o Brasil e espera-se do governo brasileiro a sua correspondência”, diz.

Mont Capital - Carteira Administrada

Durante entrevista nos Emirados Árabes, como mostramos, Lula  voltou a fazer uma análise sobre o conflito entre a Rússia e a Ucrânia e disse neste domingo (16) que “a decisão da guerra foi tomada pelos dois países”. Repetindo o tom de declarações dadas em Pequim no dia anterior, o petista voltou a dizer que os Estados Unidos e a União Europeia incentivam a guerra.

Leia também:

Ucrânia rejeita plano de Lula