Sigma Lithium iniciará produção “dentro de alguns dias” após obter licença

Sigma Lithium iniciará produção “dentro de alguns dias” após obter licença
Sigma Lithium iniciará produção “dentro de alguns dias” após obter licença

A mineradora Sigma Lithium Corp informou que recebeu licença de operação em Minas Gerais para vender e exportar lítio, e que sua produção de metal para baterias de veículos elétricos deve começar dentro de dias.

A aprovação para a Sigma operar a mina de lítio Grota do Cirilo e equipamentos de processamento foi confirmada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Semad) de Minas Gerais.

A companhia com sede em Vancouver deve iniciar a produção “dentro de dias” e exportar lítio “dentro de semanas”, segundo Ana Cabral-Gardner, CEO da companhia.

Nos últimos meses, surgiram rumores de que a Tesla Inc. ou a concorrente chinesa de lítio Ganfeng Lithium Group Co poderiam fazer uma oferta pela Sigma.

Segundo reportou a Agência Reuters, Cabral-Gardner reconheceu que várias empresas estão “esperando por alguma abordagem para Sigma”, mas se recusou a comentar quando perguntada se a Sigma estaria em alguma negociação.

“Estou focada no que posso controlar, que é colocar essa empresa em produção”, disse Cabral-Gardner, que também é sócia da A10 Investimentos, que detém 45% das ações da Sigma.

A produção da companhia deverá aumentar gradualmente nos próximos meses e atingir a taxa de produção anual de 270.000 toneladas de concentrado de espodumênio (mineral fonte de lítio) até julho.

Leia também: Stellantis, da Fiat e Jeep, investe em matérias-primas na América do Sul para garantir a produção de carros no futuro

Mont Capital - Carteira Administrada

Em 2021, a Sigma concordou em fornecer pelo menos 60.000 toneladas para a LG Energy Solution Ltd começando este ano. Espera-se que a produção restante seja vendida no mercado spot para clientes que provavelmente processarão o metal na China.

A Sigma está atualmente “verificando qual cliente receberá o primeiro carregamento”, disse Cabral-Gardner.

Como a demanda de lítio é baixa no Brasil, Cabral-Gardner disse que o projeto da Sigma é “voltado para permitir a transição energética no Hemisfério Norte”.

A Sigma projetou que a mina alcançará um fluxo de caixa livre anual de 455 milhões de dólares em sua primeira fase de produção.

Sete analistas recomendam a compra de ações da Sigma e acreditam que ela deve ser negociada 69% acima dos níveis atuais, segundo dados da Refinitiv Eikon.

(Com informações da Reuters)