calendar
Notícias

214 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Renda Fixa: Como bater o Tesouro Selic em 2023 e driblar a queda da inflação implícita

Renda Fixa: Como bater o Tesouro Selic em 2023 e driblar a queda da inflação implícita

Mercado Financeiro 8 meses atrás
Visitar site arrow
Renda Fixa: Como bater o Tesouro Selic em 2023 e driblar a queda da inflação implícita
Renda Fixa
Tesouro Selic segue como recomendação para o curto prazo, mas não é mais o título de renda fixa mais atrativo em 2023. (Imagem: Pexels)

O Tesouro Selic já rendeu grandes alegrias para os investidores de renda fixa durante o ciclo que trouxe a taxa básica de juros de 2% para os atuais 13,75% ao ano.

Agora a história é outra, assim como outros títulos públicos tendem a performar muito melhor em 2023 na comparação com o papel pós-fixado negociado no Tesouro Direto.

    • Entre para o Telegram do Market Insider News! Acompanhe as notícias sobre mercado financeiro, investimentos e finanças pessoais. Notícias de hoje sobre assuntos que mexem com o seu bolso. Clique aqui e acompanhe em tempo real!

No Brasil, o mercado discute agora quando começará o ciclo de queda da Selic, com apostas concentradas entre agosto e setembro, mas sem descartar um corte antecipado em junho.

Com isso, a inflação implícita tem caído e premiado mais os prefixados na marcação a mercado, explica o estrategista de renda fixa do Itaú BBA, Lucas Queiroz, em carta mensal divulgada em abril.

A inflação implícita nada mais é do que a diferença entre a taxa de juros prefixada (nominal) e a taxa de juros indexada ao IPCA (real).

“Com recuo na inflação implícita, decorrente do cenário externo e da redução de incerteza pelo lado fiscal doméstico, os prefixados tiveram melhor desempenho em relação a seus pares atrelados à inflação”, aponta Queiroz.

Mont Capital - Carteira Administrada

Entre os títulos públicos no Tesouro Direto recomendados pelo especialista no mês passado, o Tesouro Prefixado 2026 subiu 3,05% na marcação a mercado, desempenho superior ao Tesouro IPCA+ 2029, com alta de 2,88%.

Renda fixa em 2023

Com taxas curtas melhor precificadas, o estrategista do Itaú BBA recomenda o investidor focar em títulos de renda fixa indexados à inflação no prazo de vencimento mais longo (Tesouro IPCA+ 2035).

Outros indexadores continuam a integrar a carteira de títulos públicos em 2023, com posições em títulos pós-fixados (Tesouro Selic 2026) para o curto prazo, além de papéis prefixados com vencimentos intermediários (Tesouro Prefixado 2026 e 2029).

Título Público Indexador Rentabilidade anual* Peso (%)
Tesouro Selic 2026 Pós-fixado Selic + 0,1041% 50
Tesouro Prefixado 2026 Prefixado 11,61% 10
Tesouro Prefixado 2029 Prefixado 12,11% 5
Tesouro IPCA+ 2029 Inflação IPCA + 5,75% 20
Tesouro IPCA+ 2035 Inflação IPCA + 6,06% 15

*Rentabilidade anual consultada em 13/04/2023 às 14h30. As taxas de remuneração dos títulos públicos no Tesouro Direto variam diariamente por conta da marcação a mercado. O investidor só trava a rentabilidade no momento da compra e pode ter lucro ou prejuízo na venda antecipada.

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados