calendar
Notícias

21 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Plano&Plano (PLPL3), Even (EVEN3), Melnick (MELK3) e Cury (CURY3) sobem na Bolsa após dados do 1º tri; confira análises

Plano&Plano (PLPL3), Even (EVEN3), Melnick (MELK3) e Cury (CURY3) sobem na Bolsa após dados do 1º tri; confira análises

Mercado Financeiro 8 meses atrás
Visitar site arrow
Plano&Plano (PLPL3), Even (EVEN3), Melnick (MELK3) e Cury (CURY3) sobem na Bolsa após dados do 1º tri; confira análises

As construtoras Even (EVEN3), Melnick (MELK3), Cury (CURY3) e Plano&Plano (PLPL3) divulgaram na última quinta-feira (13) suas prévias operacionais do primeiro trimestre de 2023 (1T23).

As instituições financeiras consultadas avaliaram que os dados reportados por Cury, Plano&Plano e Melnick foram positivos, destacando especialmente os números operacionais muito fortes da Cury no 1T23.

A Plano&Plano teve como destaque as vendas trimestrais recordes e aumentos contínuos de preços.

A Even, por sua vez, divulgou resultados operacionais considerados mistos no 1T23, com desaceleração dos lançamentos e aumento das vendas, impulsionado pela venda de estoques.

Contudo, na sessão desta sexta-feira (14), todas as ações das companhias que divulgaram prévia registram ganhos. Às 13h20 (horário de Brasília), os ativos PLPL3 subiam 6% (R$ 6,89), EVEN3 avançava 4,83% (R$ 4,99), MELK3 tinha ganhos de 2,76% (R$ 3,35) e CURY3 avançava 1,84% (R$ 13,28).

As notícias dando mais detalhes sobre o Minha Casa Minha Vida (MCMV), que impactam principalmente Cury e Plano&Plano, também seguem no radar. “Reiteramos que as mudanças do MCMV estão avançando no Governo Federal, o que vemos como positivo para as construtoras de baixa renda. No entanto, ainda teremos que aguardar a nomeação do novo conselho curador do FGTS, pois esse continua sendo o gargalo para novas mudanças”, avalia.

Cury (CURY3)

As vendas líquidas da Cury atingiram R$ 1,078,9 bilhão, montante que representa crescimento de 43,3% em relação ao 4T22 e de 43,2% ante ao mesmo período do ano anterior.

A Cury apresentou números operacionais muito fortes no 1T23, na avaliação do BBI, com uma velocidade de vendas (VSO) de 72% nos últimos dos meses e 43% no trimestre.

Por outro lado, segundo BBI, o destaque do trimestre vem de um descompasso atípico entre o número de unidades vendidas (4,3 mil) mas não repassadas à Caixa (apenas 2,5 mil unidades repassadas).

“Entendemos que isso pode ser consequência de algum descompasso temporal nos processos operacionais de Cury com a Caixa e não temos motivos para acreditar que haja qualquer nova e relevante restrição nas aprovações de hipotecas”, explica BBI.

O Bradesco BBI ressalta, no entanto, que esse processo de transferência é uma característica fundamental na execução de alto nível da Cury e um dos principais pilares do modelo de negócios da empresa de rápido giro de ativos e geração recorrente de caixa. Dessa forma, analistas do BBI esperam ver o processo de transferência normalizado nos próximos 2 trimestres, mas é preciso observar de perto.

Na mesma linha que o BBI, o BBA disse que a Cury relatou outro conjunto de fortes números operacionais para o trimestre. Os lançamentos cresceram 155% no trimestre e 82% no ano, para R$ 1,4 bilhão, impulsionados pela estratégia da empresa de concentrar os lançamentos no primeiro semestre.

A XP também avaliou os dados operacionais da Cury como fortes, mas dentro do esperado. Os lançamentos (%Cury) aumentaram significativamente no trimestre, atingindo R$ 1,4 bilhão (+81,8% na base anual). Como resultado, as vendas líquidas (%Cury) alcançaram níveis excelentes, reforçando a robusta demanda pelos projetos da Cury.

Por fim, o preço médio por unidade vendida aumentou (+16,1% na base anual), abrindo espaço para que a Cury continue adicionando rentabilidade em suas operações. Assim, a XP Investimentos reitera a Cury como sua principal escolha com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 17,00. O BBI mantém recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado, equivalente à compra) e preço-alvo de R$ 20.

Plano&Plano (PLPL3)

As vendas líquidas (100% Plano&Plano) contratadas no primeiro trimestre de 2023 alcançaram R$ 546,7 milhões, valor 47,2% superior ao registrado no 1T22 (R$ 371,5 milhões).

De forma geral, a “Plano&Plano apresentou bons números operacionais no 1T23, com uma impressão de vendas recorde e aumentos contínuos de preços”, avaliou BBA.

Mont Capital - Carteira Administrada

O Bradesco BBI, por sua vez, disse que a construtora registrou números recordes de vendas sustentando a tendência operacional positiva.

Para a XP Investimentos, os dados operacionais no primeiro trimestre de 2023 foram fortes, impulsionados por vendas líquidas recorde, reforçando a sólida demanda por habitação de baixa renda e pelos projetos da companhia, e abrindo espaço para aceleração de lançamentos em 2023.

Além disso, o preço médio por unidade vendida acelerou no trimestre, o que “pode ajudar a rentabilidade olhando para frente”, comenta XP.

Dito isso, a XP vê uma reação positiva do mercado e reitera visão construtiva para PLPL3, com uma recomendação de compra e um preço-alvo de R$ 7,00. O BBI reitera avaliação outperform e preço-alvo de R$ 7.

Even (EVEN3)

As vendas líquidas da Even somaram R$ 544 milhões, R$ 306 milhões (% Even) no 1T22, representando um aumento de 21,4% sobre o 1T22, sustentado por lançamentos e vendas na operação de Melnick, o que foi considerado razoável pelo Itaú BBA.

Já o Bradesco BBI destaca que a Even acelerou os lançamentos sequencialmente, concentrando-se na cidade de Porto Alegre, mas manteve-se conservadora em São Paulo.

Enquanto isso, segundo o BBI, as vendas apresentaram evolução decente, impulsionadas pelas vendas de estoque, embora isso deva se traduzir em margens estáveis ​​em relação ao 4T22 (20%), o que reflete a estratégia comercial da empresa (descontos) para manter o estoque em um nível confortável antes do pico de entregas.

Para XP Investimentos, a Even divulgou resultados operacionais mistos no 1T23. Do lado negativo, analistas apontam que os lançamentos (%Even) desaceleraram (-51,5% na base anual), devido à falta de projetos em São Paulo.

Por outro lado, as vendas líquidas aumentaram (+21,4% na base anual), impactadas positivamente pelas vendas de estoque (+79,1% na base anual). Como resultado, a velocidade de vendas (VSO) melhorou gradualmente para 11% (+3 pontos percentuais na base anual e trimestral). Os distratos ainda são um ponto de atenção na visão da XP, atingindo cerca de 17% das vendas brutas, prejudicados pelo maior volume de entregas.

Diante disso, a XP mantém recomendação neutra para EVEN3 com preço-alvo de R$ 13,00. O BBI, por sua vez, reitera avaliação outperform e preço-alvo de R$ 7.

Melnick (MELK3)

A Melnick registrou vendas líquidas de R$ 305 milhões no primeiro trimestre de 2023, um crescimento de 250,6% sobre o primeiro trimestre de 2022, que foi considerada sólida pelo Itaú BBA.

O time de análise do BBA destaca o aumento da velocidade de vendas para 20% (de 10% no 4T22), suportada por um bom desempenho de velocidade de vendas de estoque de 17% (de 7% no trimestre anterior).

A XP também aponta que a prévia operacional foi considerada positiva. Os lançamentos (% Melnick) tiveram um desempenho saudável, aumentando +62% na base anual, apesar do cenário desafiador. Além disso, destaca que as vendas líquidas (%cia) se recuperaram significativamente (+250,6% na base anual e +148% na comparação trimestral), impulsionadas por vendas mais fortes do estoque (+128% na comparação trimestral), devido ao Melnick Day. Como resultado, a VSO aumentou.

“Embora vejamos as vendas sólidas do estoque como uma indicação positiva da redução da carga de projetos, podemos ver potenciais impactos na margem bruta à frente, dada a maior quantidade de descontos”, avalia a casa.

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados