calendar
Notícias

207 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • PF vê indícios de que assessores de Bolsonaro coordenaram 8 de Janeiro

PF vê indícios de que assessores de Bolsonaro coordenaram 8 de Janeiro

Política 3 semanas atrás
Visitar site arrow
PF vê indícios de que assessores de Bolsonaro coordenaram 8 de Janeiro

O relatório da PF (Polícia Federal) enviado ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, afirma que os atos de 8 de Janeiro de 2023 não se originaram da “mobilização popular”, mas sim da “arregimentação e suporte direto” de grupo ligado ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O grupo a que se refere a PF foi alvo de ordens de prisão da operação Tempus Veritatis, deflagrada nesta 5ª feira (8.fev.2024) por suposta tentativa de golpe na gestão do ex-presidente.

Eis os alvos de ordem de prisão:

  • Filipe Martins, ex-assessor especial de Bolsonaro;
  • Marcelo Câmara, coronel da reserva do Exército;
  • Rafael Martins, major do Exército;
  • Bernardo Romão, coronel do Exército.

Desses 4, apenas Bernardo Romão não foi preso na operação. Ele está nos Estados Unidos, segundo apurou o Poder360.

A PF detalha a atuação de cada um dos investigados. Segundo a corporação, Rafael Martins contactou Mauro Cid solicitando “orientações”, dias após o fim do 2º turno das eleições presidenciais.

No relatório consta que, naquele momento, os acampamentos em Brasília se intensificavam. Rafael perguntou a Cid em 14 de novembro de 2022 se as Forças Armadas garantiriam a permanência das pessoas no local e pediu ajuda financeira para trazer e manter manifestantes para a capital federal.

Mont Capital - Carteira Administrada

O então ajudante de ordens de Bolsonaro perguntou se R$ 100.000 eram suficientes para custos com hotel, alimentação e material em 14 de novembro de 2022. No dia seguinte, em 15 de novembro, bolsonaristas fizeram manifestações em Brasília questionando o resultado das eleições.

A PF afirmou que esses e outros elementos revelam indícios de que major “atuou de forma direta no direcionamento dos manifestantes”, além de “realizar a coordenação financeira e operacional para dar suporte aos atos antidemocráticos e arregimentar integrantes das Forças Especiais do Exército, para atuar nas manifestações, que, em última análise, não se originavam da mobilização popular”.

ENTENDA

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), autorizou o cumprimento de uma operação da PF (Polícia Federal) nesta 5ª feira (8.fev.2024) contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e aliados por suposta tentativa de golpe de Estado.

A ação cumpriu 33 mandados de busca e apreensão, 4 mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares. O Poder360 teve acesso à decisão da Suprema Corte. Eis a íntegra do documento (PDF – 8 MB).

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados