MRV (MRVE3) freia lançamentos, aumenta preços e reduz queima de caixa no 1T23

MRV (MRVE3) freia lançamentos, aumenta preços e reduz queima de caixa no 1T23
MRV (MRVE3) freia lançamentos, aumenta preços e reduz queima de caixa no 1T23
MRV
MRV vende mais, mas lança menos no 1T23; se, no Brasil, houve controle de queima de caixa, nos EUA, o dado acelerou (Imagem: MRV/Divulgação)

MRV (MRVE3) viu suas vendas líquidas totais somarem R$ 1,82 bilhão no primeiro trimestre deste ano, alta de 4,3% na comparação com o mesmo período de 2022. Entretanto, em relação ao quarto trimestre do ano passado, o indicador recuou 11,8%.

A prévia operacional  divulgada nesta quarta-feira (12) considera as vendas da MRVSensiaUrbaLuggo e da subsidiária Resia, nos Estados Unidos.

A velocidade de vendas (VSO) da construtora e incorporadora mineira alcançou 22% no trimestre, subindo 2 pontos percentuais (p.p.) na comparação com o mesmo período de 2022 e 5 p.p. ante outubro a dezembro.

Segundo a MRV, esse foi o melhor primeiro trimestre de vendas líquidas do segmento de incorporação. Contudo, a companhia relaciona o resultado à “presença dominante em diversas praças fora das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro” e “às mudanças recentes no programa” habitacional do governo federal Minha Casa, Minha Vida (MCMV).

O preço médio de venda dos produtos da construtora, considerando todas as suas marcas, subiu 11,2% de janeiro a março ante um ano antes, para R$ 217 mil. No entanto, em relação ao quarto trimestre, houve queda de 18,4%.

No trimestre, a MRV&Co diz que queimou R$ 208 milhões de seu caixa, redução de 49% ante o quarto trimestre, considerando apenas a operação brasileira.

A empresa de construção civil ressaltou em sua prévia que os “covenants de dívida apresentaram melhora” em comparação ao quarto trimestre de 2022.

MRV freia lançamentos

Os lançamentos da MRV&Co tiveram valor geral de vendas (VGV) de R$ 982 milhões, total 43,6% abaixo do reportado no primeiro trimestre de 2022 e com recuo de 71,8% ante o trimestre anterior.

Mont Capital - Carteira Administrada

De janeiro a março, foram lançadas 2,6 mil unidades, cinco vezes abaixo do volume registrado de outubro a dezembro. O preço médio de venda por unidade lançada chegou a R$ 367 mil, considerando todas as subsidiárias da companhia. O que representa avanço de 15,5% no comparativo anual e salto de 48,5% ante o último trimestre.

Resia não vende, lança menos e acelera queima de caixa

Em contrapartida, a Resia, subsidiária da MRV&Co nos Estados Unidos, viu seus números despencarem de janeiro a março. A empresa não vendeu imóveis no período.

Sendo assim, a queima de caixa acelerou, atingindo R$ 580,6 milhões, puxada por financiamento de projetos. No primeiro trimestre de 2022, a empresa havia queimado R$ 531,6 milhões, enquanto nos últimos três meses do ano passado, a queima somou R$ 128,5 milhões.

“Esse resultado está em linha com o orçado para o ano, que prevê a venda de propriedades nos próximos trimestres. Cabe ressaltar que a queima de caixa da operação americana refere-se, majoritariamente, ao avanço na
construção dos projetos que serão vendidos quando finalizados”, explica a MRV no documento.

No entanto, a subsidiária lançou 202 unidades, somando VGV de R$ 293 milhões, quedas de 57,6% na base anual e de 30,4% no comparativo mensal.

Por outro lado, os aluguéis dispararam na comparação com o quarto trimestre (+208,7%), com 142 novas unidades locadas. O dado, porém, ficou 22,8% abaixo do apurado um ano antes.