Mercedes-Benz: Metalúrgicos de São Bernardo aprovam suspensão de 1.200 contratos de trabalho

Mercedes-Benz: Metalúrgicos de São Bernardo aprovam suspensão de 1.200 contratos de trabalho
Mercedes-Benz: Metalúrgicos de São Bernardo aprovam suspensão de 1.200 contratos de trabalho
Linha de produção na fábrica da Mercedes em São Bernardo do Campo layoff maio 2023 sindicato aprovação trabalhadores metalúrgicos
Freio de mão: Mercedes-Benz suspenderá os contratos de trabalho por até três meses (Imagem: REUTERS/ Paulo Whitaker)

Os trabalhadores na Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP) aprovaram a proposta de layoff (suspensão temporária do contrato de trabalho) para cerca de 1.200 trabalhadores pelo período de dois a três meses a partir de maio, informou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Os trabalhadores recebem 100% do salário líquido durante o layoff e ainda vão passar por um curso de formação profissional.

“É importante ressaltar que todos esses trabalhadores têm garantia de retorno para a fábrica. E, para dar mais tranquilidade para as pessoas, em caso da necessidade de um novo layoff, dependendo de como o mercado de caminhões e ônibus se comportar, quem entrar agora não estará em um eventual próximo layoff”, disse o diretor executivo do sindicato Aroaldo Oliveira da Silva.

Mercedes-Benz: Mais uma vítima dos juros altos, segundo o sindicato

“O maior vilão é a taxa de juros abusiva, que deixa o financiamento mais caro, as pessoas não compram e há a queda na produção. A maioria das pessoas não compra ônibus nem caminhões à vista. Ela também atinge quem quer financiar um carro, uma geladeira… É preciso baixar a taxa para a economia reagir”, destacou.

Mont Capital - Carteira Administrada

O layoff já estava previsto no acordo coletivo de trabalho da fábrica.

A montadora já havia anunciado aos metalúrgicos férias coletivas para 300 trabalhadores por um mês no início de abril, semanas curtas de trabalho e o fechamento do segundo turno da montadora a partir de maio também por três meses.

A fábrica de São Bernardo conta com cerca de 8 mil trabalhadores em sua totalidade, sendo 6 mil na produção.