Leia a íntegra da reunião de Bolsonaro que embasou operação da PF

Leia a íntegra da reunião de Bolsonaro que embasou operação da PF
Leia a íntegra da reunião de Bolsonaro que embasou operação da PF

O STF (Supremo Tribunal Federal) retirou na 6ª feira (9.fev.2024) o sigilo  de uma reunião promovida pelo então presidente Jair Bolsonaro (PL) em 5 de julho de 2022, no Palácio da Alvorada. A gravação embasou a operação da PF (Polícia Federal) Tempus Veritatis, que investiga uma suposta tentativa de golpe de Estado para mantê-lo na Presidência da República.

À época, Bolsonaro afirmou que o objetivo da reunião era “cobrar dos presentes conduta ativa na promoção da ilegal desinformação e ataques à Justiça Eleitoral”.

Assista ao vídeo completo da reunião:


Leia os destaques:


Leia a íntegra da reunião:

Jair Bolsonaro – “Pessoal, estou aguardando chegar um deputado aí, enquanto não chegar, vou tratar de outros assuntos aqui, tá. A Câmara deve votar hoje a PEC das bondades, como é chamada. E não tem como, depois dessa PEC da bondade –a gente não tá pensando nisso, né, mas– ter 70% dos votos. Mas a gente vai ter 49% dos votos e eu vou explicar por quê. Nós estamos vendo aqui –não é toda a imprensa, é uma outra TV, e nas mídias sociais– sobre a delação do Marcos Valério, a questão da execução do Celso Daniel, o envolvimento com o narcotráfico, temos informações do general Carvajal lá da Venezuela preso na Espanha, já fez a delação premiada dele lá. Por 10 anos abasteceu o dinheiro do narcotráfico, Lula da Silva, Cristina Kirchner, Evo Morales, essa turma toda que vocês conhecem

Jair Bolsonaro –  “E a gente vê que o Datafolha continua mantendo a posição de 45% e por vezes falando de ‘Lula ganhou no 1º turno’. Eu acho que eles veem assim: as pesquisas estão exatamente certas de acordo com os números que estão dentro dos computadores do TSE”.

Jair Bolsonaro – “Eu tenho que ter bastante calma, tranquilidade, e vou entrar em detalhe com vocês daqui a pouco. Tem um vídeo aqui agora, vai chegar o deputado que me interessa, para ele começar. Vou mostrar um vídeo aqui que o Brasil é um país de 90% de cristãos. Além disso, narcotráfico, desvio, roubo, etc tem mais essa questão. E tem gente que não quer enxergar o que está acontecendo. O que não quer enxergar? tem uma notícia hoje na imprensa que o Fachin assinou um acordo aí com outros países para fiscalizar a eleição” 

Jair Bolsonaro – “Olha, com todo respeito a todos vocês aqui, vocês agora irem fiscalizar as eleições, a minha avó, [Inaudível], um marciano, não vão descobrir nada, é tudo perfumaria. É como aquela pessoa que se maquia muito bem para se parecer bonita, mas se der uma chuvinha, cai tudo por terra. É o que está acontecendo no Brasil. Por que a esquerda tem medo? Porque a única empresária de esquerda aí, a Magazine Luiza, tá se ferrando, tá afundando. Agora esses caras têm que viver às custas do Estado, igual um verme, um carrapato. Não adianta falar: ‘Sai da vaca e vai comer capim’ que ele vai morrer de fome.

Jair Bolsonaro –  Então a esquerda fica apegada a teta, que é o Estado, porque se deixar eles morrem de fome. Então a união deles é algo fantástico. Você tem que elogiar a união deles. Pro lado de cá, qualquer acusaçãozinha o mundo cai na cabeça daquela pessoa. Então eles estão em uma situação de brilhar nas eleições agora, porque mais 4 anos sem o sangue do Estado esses caras morrem de inanição. A gente vê os sinais do mundo todo, tá sobrando nós, o Brasil, como democracia”. 

Jair Bolsonaro – “Eu sou militar –aqui tem vários militares né, nós juramos a vida pela pátria– e todo mundo sabe o significado desse juramento. Os demais civis que não prestaram o serviço militar obrigatório, vai pela sua consciência que tem que fazer o possível pela sua pátria, pela sua liberdade, pelo bem-estar do seu povo”.

Jair Bolsonaro –  “Há pouco tempo atrás conversaram com o ministro aqui e ele falou: ‘Ah se der problema eu vou para os Estados Unidos’. Tá ficando difícil viver nos EUA, olha o trenzinho aqui das Américas, culpa da Venezuela, Argentina, Chile, Colômbia. Será que a gente vai entrar nesse trenzinho? Com tudo que estamos vendo a gente vai entrar nesse trenzinho?”.

Jair Bolsonaro – “Então, eu que fui lá na Operação Acolhida, eu queria ir em Itacaré, mas não consegui ir –orientação de questão de segurança, poderia ter um sniper mais longe um pouquinho ou poderia ter um problema qualquer, e eu não fui– mas mesmo no Boa Vista a gente entra naqueles barquinhos feitos pelo nosso Exército brasileiro e não vinha uma família, vinha uma mulher e 3,4 filhos. Raramente tem um homem dentro. A gente quer isso para nossa família? Alguém acha que isso não pode acontecer no Brasil? Eu não posso entender e não entendo que isso não pode acontecer no Brasil”

Jair Bolsonaro –  “Para onde vai nossa Operação Acolhida? Qual país está sofrendo [inaudível] Paraguai? O Uruguai nós sabemos que o presidente de direita, mas todo o parlamento é de esquerda. Ele entregou todos os seus ministérios para a oposição. E é apenas presidente. Conversei por telefone com o ministro da Defesa da Bolívia. Acabei de conversar com ele. [Eu falei para ele] ‘Tu vai ficar no Brasil’. Ele tá no Brasil. Liguei para o Anderson para a gente dar prioridade no caso do [inaudível].

Jair Bolsonaro – “Porra, pessoal, presta atenção, eu vi um general do [inaudível] chorando na minha frente. Puta que pariu, puta que o pariu. Será que ninguém sabe o que aconteceu na Bolívia? Por questões políticas, o Evo Morales fugiu de lá, abandonou o cargo, foi para a Argentina e ficou fazendo campanha. A turma dele voltou. A Jeanine Áñez [ex-presidente da Bolívia] tinha uma escala para assumir. Então aqui: se eu morrer, assume o Mourão, se o Mourão morrer, assume o Lira, se o Lira morrer, assume lá o Pacheco e foi na escala”. 

Jair Bolsonaro – “E a Janine sumiu, e depois vai perder uma eleição –eu não sei se teve fraude, mas perdeu a eleição, não interessa. Ela já pegou uma [prisão] preventiva, cumpriu 1 ano de preventiva. Eu tive com ela uma vez. Ela tentou suicídio duas vezes. E foi condenada mês passado a 10 anos de cadeia, juntamente com o ministro da Defesa, juntamente com o chefe de polícia. A acusação: atos antidemocráticos, porque não devia assumir. Ou se assumir, tinha que ter marcado eleições 2 anos depois. Eu morro hoje, o Mourão tem que marcar as eleições para o mês que vem, e não para outubro. 10 anos de cadeia.”

Jair Bolsonaro – Desculpa demorar, quem quiser ir embora vai, fica à vontade. Há uma diferença entre a mulher levar porrada e se foder e o homem. Há uma diferença enorme. Você se incomoda muito mais com a mulher, obviamente, o jeito que ela vai ser arrastada para dentro do camburão. Puta que o pariu. É a turma do Evo Morales que voltou. A turma do Foro de São Paulo”. 

Jair Bolsonaro – “Nós vamos esperar chegar 2023, 2024, pra se foder? Depois perguntar: ‘Por que não tomei providência lá atrás?’ E não é providência de força não, caralho! Não é dar tiro. Ô Paulo Sérgio [Nogueira, ministro da Defesa], vou botar a tropa na rua, tocar fogo aí, metralhar. Não é isso, porra. Daqui para frente, eu quero que todo ministro fale o que eu vou falar aqui e vou mostrar. Se o ministro não quiser falar, ele vai ter que falar pra mim porque ele não quer falar. Se apresentar onde eu tô errado, eu topo. Agora, se não tiver argumentos para me devolver do que eu vou mostrar, não vou querer papo com esse ministro. Está no lugar errado. Se está achando que eu vou ter 70% dos votos e vou ganhar como ganhei em 2018, e vou provar [inaudível], o cara está no lugar errado. Aqui não tem ninguém com QI mediano aqui dentro. Todo mundo aqui eu acho que tá nos 5% de pessoas mais inteligentes ou mais bem sucedidas do Brasil”.

Jair Bolsonaro – “Eu tô dando um tempo aqui para chegar o [deputado do PL do Paraná] Filipe Barros. [inaudível]. Já sentei com o [diplomata André] Chermont para falar com o [chanceler Carlos] França. 5ª feira [7.jul.2022] eu vou reunir metade dos embaixadores no Alvorada e semana que vem a outra metade. Porque os caras tão preparando tudo, pô. Por mim eu ganhava no 1º turno, na fraude. Vou mostrar como e por quê. Alguém acredita aqui em Fachin, Barroso, Alexandre de Morais? Alguém acredita? Se acreditar, levanta o braço. Acredita que eles [inaudível] estão preocupados em fazer justiça? Seguir a constituição? De tudo que estão vendo acontecer… Essa cadeira aqui é uma cagada estar comigo, uma cagada. E eu vou explicar a cagada. Não vai ter uma cagada dessa no Brasil, cagada do bem. Deixar bem claro”.

Jair Bolsonaro – “Como é que eu ganho uma eleição? Um fudido como eu, fudido como eu. Deputado de baixo clero. Escrotizado dentro da Câmara [dos Deputados], sacaneado, gozado. Uma porra de um deputado. A porra de um deputado. De 513. Não consigo entender, assim como alguns não entendem o que tá acontecendo. E o que aconteceu na Bahia, eu nunca gastei um puto de um centavo. O outro cara deu cesta básica, café da manhã etc. Cadê a porra da Inteligência ali? Que não consegue ir lá e filmar o cara recebendo dinheiro. Vai pra puta que o pariu, porra”. 

Jair Bolsonaro –  “Que porra de Inteligência que eu tenho? [corte no áudio] Forças Armadas, Abin [inaudível], toda a Inteligência que não tem um relatório do que aconteceu lá, coçando o saco [corte no áudio] no meio do povo levou uma guilhotina no pescoço, ser envenenado, dar um tiro [corte no áudio] não faz porra nenhuma”.

Jair Bolsonaro – “Está tendo a primeira reunião de ministro do Sérgio Moro. A gente falou que a sessão foi secreta, o caralho. As consequências disso não é eu perder mandato não, pessoal. Perder uma eleição na democracia, tranquilo. A gente não pode perder a democracia em uma eleição. Eu vejo o que aconteceu na pandemia. O prefeito de Araraquara [Edinho Silva, do PT] guarda municipal com cacetete na cintura deixou o pessoal dentro de casa. Muita gente comeu cachorro em casa para não passar fome. Já esqueceram? Já esqueceram isso tudo? Eu até falei na última reunião: ‘Como é fácil impor uma ditadura no Brasil’. Basta eu escolher bem –com todo respeito ao Paulo Sérgio, entenda o que eu vou falar– o Ministério da Defesa escolher comandante de força que queira fazer barbaridade. A gente fala: ‘Eu não acredito que possa acontecer’. O que aconteceu na Venezuela? Ninguém bota uma ditadura sem as Forças Armadas. Não existe isso.”

Jair Bolsonaro – “Olha a história do general Uchôa, em Cuba. Eu vou tomar o tempo de vocês, permita aqui. O que aconteceu com o general Uchôa em Cuba? Ele foi quem desceu de Sierra Maestra com Fidel Castro e tomou Cuba e o povo aplaudiu [corte no áudio]. E depois, ao longo do tempo, Uchôa era jovem, até que se chegou a general um dia, ele participou de Angola da guerrilha, fez barbaridades ao lado de Fidel Castro”.

Jair Bolsonaro – “Até que um dia, até que teve um dia que botaram Cuba na rota de cocaína para os Estados Unidos, aí Fidel Castro não podia admitir isso. E o que ele fez? Está no livro do coronel chefe da segurança dele. O que ele fez? Ele levou a julgamento o general Uchôa. E no dia que ele foi condenado à morte, esse coronel viu Uchôa marchando em direção ao paredão e urinou nas calças. Não tem fodão. Não tem a fodona de uma ex-presidente ai que ‘ah, fui torturada 30 dias’ [a ex-presidente Dilma Rousseff]. Eles sabem o que é a tortura. Jogam aqui nas Forças Armadas o que eles faziam no passado. Daí esse general foi fuzilado. Esse coronel resolveu tirar o time. Ir embora. Esse general pediu transferência para a reserva, pegou uma quarentena de 3 anos em presídio comendo bolinho de terra. Daí conseguiu ir para os Estados Unidos e a história está aí”. 

Jair Bolsonaro – “O nosso Brasil, esse país maravilhoso que temos aqui, que Deus nos deu, de 8,5 milhões de km² apesar dos problemas todos, até o momento nós estamos bem. Agradeço a todos vocês. Todos. Olha a questão da economia. E já teve momento de subir a temperatura entre nós, quantos entraram naquela minha sala reservada lá pra discutir assuntos lá reservadamente sem hierarquia, que é a melhor coisa que tem: vomita eu, vomita aqui, vamos chegar a uma conclusão, e resolvemos o assunto. Tá aí o Brasil. Com essa PEC agora, da bondade, é uma PEC necessária. Apesar de não ter sido feita para a eleição, não tem como você não ganhar simpatia da população. Nós somos um dos melhores países no tocante à pandemia”.

Jair Bolsonaro – “Já chegou o Felipe Barros aí, né? Então convidei ele, Vou fazer uma reunião 5ª feira com embaixadores, semana que vem com mais, vou convidar autoridades do Judiciário para outra reunião para mostrar o que está acontecendo. Eu quero passar um vídeo aqui, rapidamente, porque nós somos um país de cristãos. Pra vocês verem, não tem como esse cara [Lula] ganhar a eleição no voto, não tem como. Em 2014 foi aprovado o voto impresso no Congresso –tava fora do foco, fora do radar nosso, nem lembrava disso– que depois também o nosso Supremo derrubou”

Jair Bolsonaro – “O nosso Supremo aqui é um é um poder à parte, é um super Supremo. Ele decide tudo, muitas vezes fora das quatro linhas. Não dá pra gente ganhar o jogo com pessoas atirando tijolos da arquibancada em cima de jogadores nossos. Com juiz que toda hora dá impedimento quando a gente ataca. Mesmo que o cara saia driblando da área dele até fazer o gol, o juiz dá impedimento. É difícil a gente ganhar o jogo assim. Agora, as consequências do jogo todo mundo vai pagar”.

[BOLSONARO EXIBE TRECHO DO VÍDEO. É POSSÍVEL OUVIR DECLARAÇÕES DE LULA ASSOCIADAS À PERMISSIVIDADE COM DROGAS E APOIO À COMUNIDADE LGBTQIA+ E AO ABORTO] 

Jair Bolsonaro – “Pessoal, a gente somando isso daí [em referência ao vídeo] com desarmar a população, acabar com os clubes de tiro, valorizar o MST, voltar a ter relações com Cuba, emprestar dinheiro para ditaduras, botar os militares e os pastores nos seus ‘devidos lugares’. É uma série de coisas que, se eu falo uma dessas daí, eu não sou eleito nem vereador do Rio de Janeiro. E a gente vê o Datafolha mostrando isso. Por que o Datafolha mostra isso? Para quando abrir o resultado no 1º turno tá lá: ‘o Lula ganhou’. Aí falarem: ‘Tá vendo o Datafolha tava certo’”.  

Jair Bolsonaro – “O Fachin me fez uma reunião no mês passado com aproximadamente 70 embaixadores e pediu no final que seus respectivos chefes de Estado reconheçam imediatamente o resultado das eleições. Nós sabemos que, se a gente reagir depois das eleições, vai ter um caos no Brasil. Vai virar uma grande guerrilha, uma fogueira. Agora, alguém tem dúvida que a esquerda como está indo vai ganhar as eleições? Não adianta eu ter 80% dos votos, eles vão ganhar as eleições”. 

Jair Bolsonaro – “Deixa eu falar para vocês aqui. Eu assisti em 1970,  alguns assistiram aqui também, a Copa do Mundo. Eu assisti em Eldorado Paulista, tava chegando a televisão naquele momento lá. E se eu falar que em 1972 o Flamengo perdeu de 10 a 0 do Bangu, alguém acredita? Tem que acreditar em mim, porra. O Flamengo perdeu de 10 a 0 pro Bangu. Tem que acreditar em mim, foda-se. Ou não? Ué não é assim que não o Alexandre, o Barroso e o Facchin tem falado? Tem que acreditar no sistema e foda-se? Não é assim? Agora, se vocês pedirem para mim: ‘Eu quero o videotape do jogo’. Eu tenho. Tá aqui na EBC. E eu falo: ‘Não vou dar’. E como é que o Flamengo perdeu de 10 a 0? Perdeu. Eu vou dar o vídeo”.

Jair Bolsonaro – “Então nós pedimos via Comissão de Transparência Eleitoral o videotape de 2014 e 2018. Não pedi o de 2020, mas vou mostrar o de 2020 para vocês aqui. Em 2014 nós temos esse videotape. Nós temos gente inteligente aqui, não sei se o [presidente do Banco Central, Roberto] Campos Neto tá aqui, mas temos o Paulo Guedes, que talvez entenda mais que todos nós juntos aqui. A apuração de 2014 no 2º turno começou com Aécio [Neves] lá em cima e Dilma lá embaixo. Em pouco tempo as curvas se tocaram e depois foram em uma paralela. Nesse videotape, tem a fotografia minuto a minuto até o final da apuração. Então tem [inaudível] do videotape do jogo Aécio e Dilma. Então, nesse [inaudível] fica Aécio, Dilma, Aécio, Dilma. Foram 241 vezes, tá?”.

Jair Bolsonaro – “A chance disso acontecer é a mesma de você achar um grão de areia que eu marquei e joguei na praia de Copacabana. Essa é a probabilidade disso acontecer. Isso foi em 2014. O PSDB fez uma auditoria. Conclusão da auditoria externa: as urnas são inauditáveis. Não dá para acender um sinal amarelo? Por que o Aécio não reagiu? Eu não quero falar publicamente, né? Tem o que passa pela minha cabeça, mas não posso expor isso daí. Eu acho que sei porque ele não reagiu. Aí perdeu a eleição. Assumiu a Dilma”.

Jair Bolsonaro – “O voto, pessoal, se eu olho torto pra cara do Anderson [Torres, ministro da Justiça] aqui ele não vota em mim. E a Dilma foi reeleita onde eu [inaudível] candidato a presidente. Puta que pariu. Eu, a porra de um deputado. Você [aponta para alguém à direita que está fora do enquadramento do vídeo] sabe porque já foi deputado como é a porra de um deputado lá dentro. Tem uma porrada de porra de deputado lá dentro. Eu era a porra de um deputado. Alguns aparecem, outros não tem chance de aparecer, não é fácil conviver naquele meio, 513. Mas tudo bem”

Jair Bolsonaro – “Vou falar outro fato para vocês aqui. Peço que projete aqui fatos, estatística. Paulo Guedes, [inaudível] temos aqui na frente aqui o sistema parou da apuração da Prefeitura de São Paulo [inaudível] parou com 0,39% apurado. [inaudível]. Tá ali o [Bruno] Covas com 32%, o [Guilherme] Boulos com 20%, [Márcio] França 13%, [Celso] Russomanno 10% e [inaudível]“.Jair Bolsonaro – “Repararam aí, pessoal? 0.39% apurados, Covas, Boulos, França, Gilmar Campos. Quando [inaudível] o sistema, com 100% apurado, continua a mesma classificação: Covas, Boulos, França, Russomanno, Mamãe Falei e Gilmar Campos. [inaudível] onde a pessoa leva o CD lá, o disquete lá, o pendrive lá e bota lá. Geralmente é no centro da cidade”.

Jair Bolsonaro – “Quando começa a apuração,  entra ali centro, Humaitá, entra ali aqueles bairros do centro, Cinelândia que não é igual Campo Grande, Santa Cruz, (bairro), Madureira, há uma diferença enorme o pessoal de Santa Cruz tem outro perfil, volta em outro tipo de candidato. E olha só, quando terminou a mesma classificação, o mesmo percentual, a chance de acontecer isso é um grão de areia em uma praia de Copacabana.É indício de fralde isso ou tô ficando maluco?”.

Jair Bolsonaro – “Vamos para o meu caso agora, presta atenção no boicote aí hein. Vamos para o meu caso agora. Eu resolvi me candidatar a presidente em 2014 e comecei a rodar o Brasil. Quase arrumei problema em casa porque achavam que eu tava passeando pelo Brasil, né? Vocês sabem da história, arrebatava multidões. Hoje tem mais multidão do que naquela época. Hoje tem mais mais multidão do que naquela época e o Datafolha ainda dá a eleição pro Lula”.

Jair Bolsonaro – “Chegou a facada, em Juiz de Fora, os médicos que me operaram, doutor Macedo, dr Borsato lá em Juiz de fora disse que a cada 100 caras que levam uma facada dessas 1 sobrevive. É mais um fator aí pra gente né, o que tá acontecendo. Depois do 1º turno, quase todo o Nordeste apurado e faltando muito pro Sudeste, e eu com 49%. Ganhei, eles não. Bem, quando terminou a apuração, eu caí para 47%. Pô, tá de brincadeira”.

Jair Bolsonaro – “Vamos lá, 2º turno, eu ganhei as eleições,né?. O pessoal tá louco para dizer para mim agora tá vendo não tem fraude. Vamos lá, começou novembro, teve a denúncia de fraude. Pessoal, quem frauda ganha, eu não vou fraudar para perder. Então o que passou na cabeça da excelentíssima senhora Ministra Rosa Weber do Supremo Tribunal Federal? Que o Bolsonaro arranjou uma maneira de fraudar a eleição. Imediatamente foi para cima da PF e foi aberto inquérito ostensivo”. 

Jair Bolsonaro – “Eu tenho documentado aqui, quem quiser só pedir para mim, não pede pro [inaldível] pede pra mim que eu entrego o inquérito todo. Bem, o que que a Polícia Federal fez? Foda-se, né? Vamos fuder o Bolsonaro. Vamos botar o Haddad na cadeira presidencial.  Daí começa a apuração, nos primeiros dias a Polícia Federal faz umas perguntas e vem a resposta

assinada pelo chefe do STI, Giusepp Janino. E ele diz lá que os [inaldível] de final de fevereiro e começo de março [corte no áudio] dentro do TSE. Ele diz isso, ele assina embaixo, ele assina embaixo”.

Jair Bolsonaro –  “Bem, daí o que a PF pede? Pede os logs, o que me disseram que log é impressão digital do que aconteceu lá dentro. Podia ser entregue no dia seguinte. Podia ser entregue no dia seguinte. Bem, mas aí já aceitamos a maré do TSE. Opa. A fraude foi inversa. [corte no áudio] informa que os logs foram apagados de forma inadvertida por parte da empresa tercerizada que fazia manutenção dos computadores.

Jair Bolsonaro – “Porra [corte no áudio]. Vimos um vídeo agora há pouco que alguém pergunta lá para o Barroso, pessoal tá de máscara, então foi 2020, no mínimo né. Perguntam a questão do armazenamento dos votos ele fica na merda, chama o Giusepp Janino para explicar. Ele fala [Janino]: ‘esse os votos ficam na nuvem. A empresa terceirizada fica’. Pera aí, que porra é essa? Então quem faz a contagem e armazena é uma empresa terceirizada? Essa empresa não foi ouvida pela Polícia Federal? Tá na cara que a PF ia investigar alguém chegou lá [corte no áudio]”.

Jair Bolsonaro – “Ou vocês acham que eu tentei botar o [Alexandre] Ramagem do meu lado ou o Alexandre de Moraes não pode que é amigo dele? O cara [inaudível] é amigo do Fernando Henrique tanto é que fez um inquérito para descobrir chantagem da sua [inaldível] de sua esposa. Alguns achavam que eu ia dar um soco na mesa. Eu tava fudido naquele momento. E o pessoal não tinha conhecimento do que estava acontecendo. E o que eles queriam? queriam dominar a Polícia Federal. Me acusam do que eles fazem: interferência. Eles queriamm outro nome na PF. Nós vamos seguir em frente”.

Jair Bolsonaro –  “Agora é a conclusão, a conclusão do inquérito, que não vai daí. Após o 1º turno, a [inaldível] agiu e influenciaram o resultado. Assim como em 2014, seguraram o algorítmo,  49%, 47%, 48% a minha votação. Como seguraram à da Prefeitura de São Paulo. Que era o [inaudível] para ganhar a eleição”.

Jair Bolsonaro – “Bem, mas por que não colocaram no 2º turno? Porque o PT deu um calote [corte no áudio]. Ele cagou [corte no áudio]. Os ratos abandonaram, não entraram mais em campo, eu também. Ele ganhando, depois ele [inaudível]. Voto nele, manda apurar, acertadamente, mas depois o inquérito para na PF. Assim como não interessa à PF quem tentou me matar. Porra. [corte no áudio]. Já morreram duas pessoas na [inaldível]“.

Jair Bolsonaro – “Tinha um cara que tentou entrar aqui em Brasília com o nome do Adélio [Bispo]. Ele [corte no áudio] tentaram pegar meu filho lá, meu filho não foi naquele dia, tá [inaudível], mas não foi treinar. Talvez matando meu filho ele me tirava de combate, pra não disputar mais eleições”.

Jair Bolsonaro –  “Tem um vídeo também que o Adélio tentou pegar meu filho em Juiz de Fora, mas não se apura a questão do Adélio. Eu não vi a PM nas ruas de Juiz de Fora no dia 6 de setembro de 2018.Eu não vi [corte no áudio]. Eu não lembro o governador Pimentel do PT que botaram um peixe nele para segurar o inquérito. Será que não conhece enxergam o que está acontecendo? Falam agora sobre essas denúncias todas de contador, não tem nada cara! Não se apura nada. Se é comigo eu tava fudido, eu tava caçado, preso [corte no áudio]“. 

Jair Bolsonaro – “O que está acontecendo? [inaldível] depois do que eu falei aqui? O TSE cometeu um erro [corte no áudio] quando convidou as Forças Armadas a participar da Comissão de Transparência Eleitoral. Eles erraram. Para nós foi excelente. Ou eles esqueceram que eu sou o chefe do Supremo das Forças Armadas? [inaldível]. Mas eles não tentaram contornar. Olha eleições [inaldível] com as Forças armadas. Fizeram reunião com embaixadores. O Barroso [corte no áudio] tirar um presidente. Eu sou a democracia. Teve agora no Reino Unido a mesma coisa. O nosso sistema é seguro, mas ninguém quer essa [Inaudível].  Ninguém quer”.

Jair Bolsonaro – “O tempo todo [inaldível] observadores. O que eles vão fazer aqui? Olhar o sistema eleitoral. Se fosse antigamente, no papel, tudo bem. O Barroso mente no Reino Unido que a PEC lá do Congresso era o voto em papel com contagem na mão. O Barroso mente na cara de pau. Será que alguém tem um vídeo dele por aí igual dos outros 4 hotéis [inaudível]?”. 

Jair Bolsonaro – “Será que o pessoal não consegue entender que pelo menos um grande país está de olho no “Fazendão” que é o Brasil? Os interesses zeros mistos que é [inaudível] está acima de tudo. Será que tem saldo dentro do TSE? Será que o ministro do [inaldível] o todo Poderoso [corte no áudio] será que o outro ministro tá ganhando US$ 50 milhões? Será que é grana que tem nisso? Eu chutei um número aleatório. 3 ministros, 2 com US$ 30 milhões e um ganha US$ 50 milhões [corte no áudio]. Será que é isso?”. 

Mont Capital - Carteira Administrada

Jair Bolsonaro – “Imagine, pessoal. Eu já fui convidado para locais cabulosos aqui em Brasília. Será que nesse local cabuloso se eu tivesse cheirado uma carreira de cocaína ou tivesse relação sexual com outro homem [corte no áudio] anos. O que vocês acham que aconteceria comigo agora? Seria refém do sistema. Qualquer um aqui [políticos] fizesse isso seria refém. Será que é isso que está em jogo? Eu não tenho dúvidas do que está acontecendo. Não tenho provas de muitas coisas, mas não tenho dúvidas. Alguns falam ‘ah o cara apareceu aqui de manhã [inaldível] mandou mensagem, vai pra puta que te pariu porra. Eu tenho que me virar [corte no áudio]. Se eu ficar acreditando que vai dar tudo certo no ano que vem eu vou descer daqui e to preso por atos antidemocráticos igual em 2003. Repito [corte no áudio]“.

Jair Bolsonaro – “Eu choro, eu já chorei. Agora, o [inaldível] da Bolívia no telefone comigo chorando. Olha o desastre. A Bolívia estendeu o inquérito [corte no áudio]. Alguém acha que se o Zé Dirceu e a turma dele voltar não vai ser pra ficar até morrer? Olha o que aconteceu em 2014, no Equador. Também naquele documento do PT lá de Salvador, onde erramos, onde falha tudo nas Forças Armadas. É [inaldível] devíamos depender do controle social [inaldíivel]“.

Jair Bolsonaro – “Todas as barbaridades que eles falaram. Nesse documento, a nata da conjuntura ta bem clara la um dos objetivos é caçar o deputado Jair Bolsonaro e o deputado Eduardo Cunha. Não se compara eu deputado com o deputado Eduardo Cunha. Ele é um cara que nasceu recruta [inaldível]. Acha um motivo caça, usa as armas da democracia para se beneficiar. Faz um escândalo perante a imprensa brasileira. Nós ficamos resistindo à imprensa. Resistimos durante a pandemia e ficamos resistindo ainda muita coisa inacreditável dentro do meu ver”.

Jair Bolsonaro – “Nós não podemos chegar em 2023, 2024 e olhar pra trás e dizer “que merda ta o brasil” e nós não fizemos nada” [corte no áudio] Alguém tem dúvida do que vai acontecer dia 2 de outubro? O que vai estar às 22h da noite na televisão? Alguém tem dúvida disso? E a gente vai entrar com recurso no Supremo Tribunal Federal… vai pra puta que pariu porra! Ninguém quer virar mesa, ninguém quer dar o golpe, colocar tropa na rua, fechar isso fechar aquilo, mas tão vendo o que ta acontecendo. Vamos esperar o que? Todo mundo vai se fuder!”

Jair Bolsonaro – “Essa andança minha pelo Brasil eu vi o povo ali: ‘não desista, Deus te abençoes’. Eu estive o tempo todo assim. Mas o povo uma parte [inaldível]. Com tudo que nós temos na frente, não é usar a máquina ao meu favor, longe disso. Mas por outro lado ele é o capeta em pessoa. Com tudo que esse cara  já fez com o Brasil, toda corrupção e a questão ideológica. Ele falou há poucos semanas que o regime bom é o chinês, que o Partido Chinês é uma maravilha. Lá o partido diz o que fazer e o povo cumpre. Queremos isso pro nosso Brasil?”.

Jair Bolsonaro – “E eu não tenho dúvida, com todo respeito a vocês aqui, o Lula botando 23 ministros todos vão fazer exatamente o que ele quer. [inaldível] até a defesa, pode botar a Dilma na Defesa. Vou fazer o que? [inaldível]. Pra quê?, para ver logicamente o que eu converso com ele. Até os 4 eu não escolhi. Quem escolheu os 4 foram as Forças Armadas, eu não escolhi nenhum! Diferentemente do Mourão, que escolheu seus 4“.

Jair Bolsonaro – “E a 1ª reunião que eu fiz com eles, podem conversar com seus superiores tudo o que aconteceu aqui, falar a verdade,não tem problema nenhum”. Não tem aqui dar um jeitinho, esconder. Chegar um cara com uma caixa de sapato para visistar [inaldível]. Se tiver isso, pode falar. O que, quem eu recebo na Alvorada não divulgo porque é interesse meu, não vou divulgar, e é assim que trabalha”. 

Jair Bolsonaro – “Eu busco fazer a coisa 100% certa e vocês são alvos pra qualquer coisa também, Olha o [inaldível] pagando um preço ai, olha o presidente da Caixa pagando um preço também, olha os traíras que já passaram pelo nosso governo, inclusive militares. Um militar general tinha interesse em corpo de armamento em Israel, usou seu respectivo filho e vira inimigo mortal da gente. Olha o outro aqui que foi  porta-voz aqui ficou 1 ano sem fazer porra nenhuma aqui porque eu acabei com a figura o porta-voz ai quando ele foi embora, não interessa o motivo, virou um grande escritor de jornal pra sacanear com a gente”

Jair Bolsonaro – “Tem um outro traíra que eu mandei para os EUA, dei emprego pra ele US$ 22.000 por mês, né Paulo Guedes? Outro irmão dele, US$ 10.000 , e o cara ainda vira inimigo. E alguns preocupados dele ser preso, não vai ser preso. Eu estou pronto para fazer uma delação premiada no Supremo, o que ele vai falar? O que tá na cabeça dele.Aqui, ta sendo gravado, problema meu se for divulgado ou não”.

Jair Bolsonaro – “Mas, aí tá um pequeno retrato do Brasil. Eu quero passar a palavra para o deputado Filipe Barros, né?  Se ele tem algo  a acrescentar sobre a questão técnica, porquue o dele tá na reta também, tá no inquérito das fake news, assim como o Cid também tá. Náo tem culpa de nada. O Cid eu [inaldível] é isso a missão que passo pra ele, mas tá no inquérito”.

Filipe Barros – “Bom dia, presidente. Bom dia, ministros. Só 2 fatos a acrescentar: o servidor Cristiano Andrade é o coordenador de infraestrutura da Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE. É quem segundo a estrutura do TSE tem a obrigação, teria a obriga ção de fazer o backup dos logs e manter esses logs arquivados. Esse servidos, segundo o próprio inquérito, ele também teve sua senha utilizada, ou permitiu que sua senha fosse utilizada pelos hackers junto com a senha do ministro [inaldível]. Senha essa usada pelos hackrs durante quase 1 ano que eles estiveram dentro do sistema. E foi esse mesmo servidor que demorou 7 meses para responder o delegado da PF sobre os logs. Ele responde depois de 7 meses dizendo que a empresa terceirizada havia apagado os arquivos logs”.

Filipe Barros – “E foi esse mesmo servidor que [inaldível] o senhor pediu a abertura de um inquérito para investigar o senhor por conta da live que nós comentamos sobre esse inquérito. Então a senha utilizada pelos hackers, ele permitiu que a senha fosse utilizada, devia ter guardado os logs, não guardou. Responde depois de 7 meses que a empresa pagou esses logs e ainda denunciou o senhor”.

Jair Bolsonaro – “E o 2º fato é que o delegado Victor, delegado que ficou responsável pelo inquérito de 2018, ele diz no depoimento dele que a praxe quando um hacker invade um órgão público,  quando  esse órgão público pede a abertura de um inquérito, já envia automaticamente os logs, essa é a praxe. Isso é feito sempre, que, se não foi feito nesse caso do TSE, que só foi respondido 7 meses depois e mais grave, ele diz no depoimento dele que não foi permitido a ele fazer a perícia dentro do Tribunal Superior Eleitoral. Então acho que esses 2 fatos também são graves”. 

Jair Bolsonaro – “Inclusive a fraude não é só pra presidente. Nós conseguimos muita coisa, não dá para falar aqui agora, em cima de pessoas preocupadas com eleição em cima dos seus respectivos aparecendo ou governos do Estado. A fraude vem geral, vamos assim dizer.

No próprio inquérito da PF, que começou em novembro de 2018, e não fechou ainda, não era nem para ter tido eleições em 2020. Eles falam sobre números mexidos nas eleições atípicas que tivemos em [inaldível] no Rio de Janeiro. E está sendo tudo acertado”. 

Jair Bolsonaro –  “Quando a gente vê certas pessoas “vamos brindar o Supremo”. Espera aí? Brindar o Supremo? Os Poderes são independentes. Está sendo atacado o Supremo? Não está sendo atacado. Brindar para que? Ou alguns têm outro interesse em se proteger? A gente vê certas coisas”, [inaudivel]. ‘O candidato Bolsonaro pelo Brasil, tem 27, e Bolsonaro pode ter no máximo aí 6 ou 7, o perfil, o resto, não vai ser eleito’”. 

Jair Bolsonaro – “A gente tem informes nesse sentido. E quem define a vida do Poder ali é o Senado federal que em tese capitulou, não são todos, mas em tese uma parte do Senado capitulou. Olha, o Barroso foi pra dentro, me acusou de ter comprado a PF, ele foi pra dentro do Parlamento, conversou com uma dezena de líderes e no dia seguinte eles trocaram a composição da Convenção Especial da PEC do voto impresso, perdemos na votação da comissão, resolveu levar pro Plenário, ganhamos no Plenário, mas não tivemos 308 votos. Interferência direta! Direta! Onde o Barroso nesse momento o Barroso na Câmara diz: ‘eleição não se ganha, se toma’. Ato falho? Olha o trabalho que faz o Zé Dirceu, anda fazendo aí ainda, se movimentando, reunindo”. 

Jair Bolsonaro – “A gente tem informes nesse sentido. E quem define a vida do Poder ali é o Senado federal que em tese capitulou, não são todos, mas em tese uma parte do Senado capitulou. Olha, o Barroso foi pra dentro, me acusou de ter comprado a PF, ele foi pra dentro do Parlamento, conversou com uma dezena de líderes e no dia seguinte eles trocaram a composição da Convenção Especial da PEC do voto impresso, perdemos na votação da comissão. Resolveu levar pro Plenário. Ganhamos no Plenário, mas não tivemos 308 votos. Interferência direta! Direta! Onde o Barroso nesse momento o Barroso na Câmara diz: ‘eleição não se ganha, se toma’. Ato falho? Olha o trabalho que faz o Zé Dirceu, anda fazendo aí ainda, se movimentando, reunindo”

Jair Bolsonaro – “Até esse presidente aí português outro dia queria falar com o Lula, Ué pode falar com bem entender, não vou ser deselegante com ele, mas não vou almoçar com esse cara mais”.

Jair Bolsonaro – “Porque a gente vê o que está acontecendo, está na nossa cara, com papel e caneta e a gente não vai ganhar essa guerra, tem que ser mais contundente, como eu vou começar a ser com os embaixadores. Porque se aparece o Lula com 51% dia 2 de outubro acabou, pô. Ou a gente reage, se reagir vai ser um caos, vai pegar fogo o Brasil. Agora a gente vê o povo do meu lado, o povo chorando, e não é porque é o Bolsonaro, não. O povo entendeu o que tá acontecendo, e vê em nós uma esperança pra mudar isso aí, não deixar acontecer a cagada que deu nas eleições com o hacker lá dentro. O Ricardão ficou 8 meses dentro da casa do cara e o cara não viu”.

Jair Bolsonaro – “Ele ia de noite tomar uma cerveja que botou na geladeira à tardinha, à noite né. De madrugada não tinha mais cerveja. Ricardão tinha tomado e não viu. 8 meses lá dentro. É o que estão fazendo aqui”.

Jair Bolsonaro – “O TSE diz pros caras ficarem 8 meses lá dentro com a senha do banco e com a senha de outro cara ainda (aponta pro político ao lado do Filipe).Eu to dizendo o que aconteceu. As eleições em São Paulo, não tem como. Do primeiro ao oitavo local, tirando a casa decimal, com 0,39%, igual ao mesmo percentual com 100%, não existe isso!.

Jair Bolsonaro – “Tá o algoritmo cravado ali. Olha, o percentual final tá decidido e varia aqui do lado depois da vírgula é isso daqui”.

Jair Bolsonaro –  “A eleição do Aécio, a auditoria que eles fizeram. O nosso caso agora. A PF aqui trabalhando. Quando eu vou pra 2ª live, onde eu mostro o inquérito que ele recebeu. O inquérito sem qualquer classificação sigilosa, daí o TSE fala ‘ó’, fala para o Barroso que era presidente né, o presidente Bolsonaro está divulgando dados sigilosos do Tribunal Superior Eleitoral, o inquérito ostensivo. Daí ele fala que as urnas são inexpugnáveis. Se são, para que inquérito? Por que não deixa mostrar o inquérito? Eu mostro o inquérito. Eu vou deixar bem claro: Quem quiser inquérito, eu entrego inquérito. É sigiloso pras nega dele. Quem dá classificação sigilosa é quem entrega. A PF falou que não era. Ponto final”.

Jair Bolsonaro –  “E eleições tem que ser limpo, pessoal. Transparência total. Qualquer dúvida vamos investigar. Fazer exatamente o contrário“.

Jair Bolsonaro – “Parece que ontem foram caçados mais 4 deputados do Paraná.. é isso mesmo? [inaudível] Foi o terreno local lá, aí vai chegar aqui e eu vou confirmar É assim o negócio, passando o cerol, que se exploda pô.” “Eu sou a democracia, é o que o Barroso fala, o Fachin também fala, o Alexandre de Moraes“.

Jair Bolsonaro –  “O Alexandre de Moraes fala “quem divulgar fake news, eu vou caçar o registro e eu vou prender” que porra? Nem no quartel a gente faz isso. O cata ameaça prender qualquer um. Eu servi na fronteira né como tenente. Tá com adrenalina lá em cima e nunca faz isso com recruta. Ameaçar de prender o recruta. O cara ameaça prender qualquer um”.

Não identificado –  “Presidente, por favor…” 

Jair Bolsonaro – “Todo mundo olhou pra minha cara. Acho que não tem bobo aqui. Mais claro do que tá aí. Mais claro impossível. Eu acredito que essa proposta de cada um da comissão de transparência eleitoral tem que… Quem responde para CGU vai, quem responde para as Forças Armadas aqui. É botar o auto escrito e pedir a OAB vai dar credibilidade pra gente, tá?”.

Jair Bolsonaro – “Polícia Federal dizer: “até o presente momento”. Uma nota conjunta de vocês todos, top. Que até o presente momento, dado as condições de se definir a lisura das eleições são impossíveis de ser atingida. E o pessoal assina embaixo. Além de eu falar com o embaixador para pegar/pagar a missão, já que o Sérgio/Celso (?) tá coordenando aqui [inaudível]. Você vai de, todos que integram a comissão de transparência eleitoral, convidar todos pra semana que vem, todos, pra gente fazer uma reunião com o pessoal e eles tomarem pé do que tá acontecendo, se bem que alguns já sabem que tá acontecendo, e fazer uma nota conjunta”.

Jair Bolsonaro – “Quando meter a OAB ali. Olha só como a oposição ajuda a gente. A OAB mudou pô. Tem uma pessoa lá que a gente vê com bastante alegria. Um cara que fugiu daquela história de antigamente de a OAB ser um partido político. OAB tem a sua participação hoje em dia que vai ser importantíssimo para nós. Chamar todos os [inaudível]. Até o momento, o que que foi feito, o que permitiu você de fazer nada, e botar essa nota pra sociedade”.

Jair Bolsonaro – “Pessoal, perder uma eleição não tem problema nenhum. Só não pode perder a democracia numa eleição fraudada. Olha o Fachin. Os caras não têm limite. Eu não vou falar que o Fachin tá levando 30 milhões de dólares. Não vou falar isso aí não. Ou que o Barroso tá levando 30 milhões. Não vou falar isso aí. Que o Alexandre tá levando 50 milhões de dólares. Não vou falar isso aí. Não vou levar para esse lado. Eu não tenho prova. Mas algo esquisito está acontecendo. Esse cidadão que tá aqui é um marxista, advogado do MST. O Alexandre de Moraes, sabem da agenda pregressa dele. O Barroso, vocês sabem também”.

Jair Bolsonaro – “O Carlos Battisti. Se eu paro o Brasil aqui a pedido do Moro tava até hoje o baititit (?) aqui, que teria uma liminar lá na base aérea lá do BJ né, do Batista Júnior, para manter o cara aqui. Vocês sabem o que tá acontecendo achando que esses caras estão de brincadeira. “Ah vamos lá”. Não tão de brincadeira. O que tá em jogo é o bem maior que nós temos enquanto estamos aqui na terra, a porra da liberdade. Mais claro impossível”

Jair Bolsonaro – “Vamos ter que reagir. O objetivo da reunião, não quero Paulo Guedes nos país das Maravilhas que fez. Já teve momento aqui de [inaudível] Paulo Guedes. Nós vamos segurar essa onda pô. Vamos tirar Paulo Guedes pra botar aqui. Vai botar quem no lugar dele? Depois o pessoal […] e ‘olha foi momento que erramos, olha como tá’. Não adianta nós mostrarmos o que está acontecendo com essa PEC de hoje que não é eleitoreira é o PT dá uma porrada na gente tem que atender, pô. A gente atende a porrada dos caras [inaudível] o eleitor. Não tem como não dar certo. No voto nós temos mais de […] votos no primeiro turno, basta ver as andanças pelo Brasil, em especial nosso Nordeste”

Jair Bolsonaro – “As mídias sociais estão conseguindo mostrar muita coisa e por ocasião das eleições virá à tona mais ainda. Não tem como certo quando a gente vê aqui quem é cristão [corte no áudio]”.

Jair Bolsonaro – “Politicamente falando não tem como a gente dar errado eu não sou bom não, mas perto desse bosta que tá do outro lado eu sou o astro porra. Agora, não dá pra gente continuar achando que com isso nós estamos fazendo tô sentindo pesando (?) que o meu computador ali lado manda sugestão das Forças Armadas. O computador do lado para… O mesmo canal que chega os votos ser contado lá. Vai acabar a história de jogar moeda para cima 241 vezes [inaudível] no Flamengo 0 Botafogo 10”.

Jair Bolsonaro – “Porra, vamo esperar chegar dia 2 de outubro para tomar providência? “Ah, vamos ver, quem sabe dê certo aí”. O Fachin mesmo falanto que eu fui com o Putin sobre hacker russo”.

Jair Bolsonaro – “Esta [corte de áudio] por que que tá preocupado? Quem tem conversado com os marcianos para invadir o TSE? Não é inexpugnável? Olha o que esse cara… O erro que eles cometeram foi botar as forças armadas dentro da comissão de transparência eleitoral. Eles cagaram no pau aí. Erraram”.

Jair Bolsonaro – “Isso acontece em guerra [inaudível] dado um certo momento aí, um vacilo do cara da frente lá, porra, perdeu a guerra pô. Pessoal tem uma passagem bíblica que diz o seguinte:  o que for possível você fazer você fa… [corte de áudio] o que não for possível, entregue nas mãos de Deus”

Jair Bolsonaro – “Todos nós estamos sendo provados agora. Quem não acredita em Deus aqui, deve ter uma minoria, não tem problema, mas a maioria acredita em Deus. Vai na missa, vai no culto, reza um Pai Nosso de manhã quando sai de casa todo dia. Eu faço um Pai Nosso todo dia antes de sair de casa, o que eu aprendi é peça para Jesus te levar a Deus”.

Jair Bolsonaro – “O que eu mais peço é ‘Não deixe o povo experimentar o que é o comunismo, pô. Meu Deus, não deixa o povo experimentar o comunismo”.

Jair Bolsonaro – “Que depois de experimentar vai levar 50, 100 anos para a gente voltar ao que era antes. É só ver o que tá acontecendo na América do Sul, nem precisa ir pra Coreia do Norte, vai aqui pra América do Sul. Qual o país mais rico em petróleo do mundo? É a Venezuela. Olha o que tá acontecendo. O que a gente vê numa operação [inaudível] uma filha [corte de áudio] onde ela é violentada [corte de áudio] e ela é obrigada a se prostituir, a dar o rabo [corte de áudio] para poder não morrer e levar os filhos vivos até o [corte de áudio] Roraima”.

Jair Bolsonaro – “A Argentina tá acontecendo a mesma coisa. Chile, Colômbia. Na Colômbia o voto foi no papel. Eu conversei com o Duque. Faltava acho que uns 10 dias para as eleições de lá na cúpula das Américas lá. Ele falou “não tem problema, isso vai [inaudível]. E ali fizeram coisa ali via internet, etc. Fizeram coisa que mudou meia dúzia aponta na frente e perdeu as eleições [inaldível] e como [inaldível] parabéns Fachin, mais uma mensagem de Deus através desse Satanás aí ó. A auditoria não é instrumento para rejeitar resultado das eleições”.

Jair Bolsonaro –  “O Paulo Sérgio pode fazer o melhor trabalho do mundo. A fotografia tá pronta e nem precisa apurar. É só botar na tela no computador às 10 da noite: Lula 51%. Acabou, porra. Vou fazer o que? Tudo o que quiser fazer após [corte de áudio] aceitar o time do Ivis (?) ganha do Flamengo, se escalar o juiz, escalar o bandeirinha. Só o juiz alguém acha que não ganha? O Ivis  quando era Flamengo [inaudível] [corte de áudio”.

Jair Bolsonaro – “Tiro de meta, e o cara sai driblando, impedimento. O juiz não tinha nada que estar lá. É o que o puxadinho do Supremo tá fazendo aí. Puxadinho do Supremo não tem que ter escrúpulo pra esses car aí. É só ver a vida pregressa deles, o que ele tem feito. Diga pra gente, o que que eu ouvi dizer agora há pouco. Mais 4 cassado no Paraná. Além do Francischini, mais 4 agora. É por que não teve cota para molhar nos outros partidos? Inventa um outro motivo qualquer!”.

Jair Bolsonaro – “É igual parada. Quem é militar sabe disso. Na academia qual o cagaço nosso? Parada matinal né. Vai lá o [inaudível], o tenete para [inaudível]. Se eu não for punido eu sou um herói. Aí geralmente 90% é [inaudível]. É do jogo. Aqui é a mesma coisa. O apelo que o [inaudível] é professoral, me desculpem”.

Jair Bolsonaro – “Todos aqui temos inteligência bem acima da média. Todos aqui, como todo povo [inaudível] tem algo a perder. Nós não podemos, pessoal, deixar chegar as eleições acontecer o que tá apitado, tá apitado. Eu parei de falar em voto e eleições tem umas 3 semanas. Vocês estão vendo agora que acho que chegaram a conclusão: vai ter que fazer alguma coisa antes”.

Jair Bolsonaro – “Tem o Sérgio da comissão aqui pra convidar o pessoal da transparência eleitoral, enquanto que o presidente, vai estar o Paulo Sérgio que representa as forças armadas… Representa não, é o ministro da Defesa. Onde vai botar, de forma bem clara né, no quadro, o que tá acontecendo. Acho até que essa reunião podia até ser aberta para a imprensa, que a transparência é transparência eleitoral”.

Paulo Sérgio Nogueira – “Isso tá na minha agenda futura, dentro de um planejamento, fazer tudo que eu falei aqui pra imprensa e muito mais do que um PowerPoint. É um planejamento, presidente”.

Jair Bolsonaro – “Vou na linha do Paulo Sérgio. Parabéns, aí. Vamos fazer essa reunião reservada nós aqui chamando esse pessoal para mostrar o que tá acontecendo. Todo mundo tem a perder. Até a coitada da dona Maria que lava a roupa, o seu Joaquim que é ajudante pedreiro. Vai perder todo mundo, vai perder. Se alguém achar que eu tô errado, eu vou pagar missão agora pro João Batista Junior, preparar um avião e lá para Pacaraima para mostrar o que tá acontecendo. Quem é você? O que você fazia na Venezuela? O pobre daqui, que sabe que a vida é difícil, mas o povo da Venezuela é incomparável. E para voltar atrás, pessoal…”

Jair Bolsonaro – “E outra, pessoal, não é uma questão interna nossa. Alguém tem dúvida que tem um país aí que vai meter o pé aqui dentro? Alguém tem dúvida disso? E acabou o Brasil. Acabou. Nós somos talvez a última democracia do mundo. É uma eleição que vai representar para o mundo o Brasil. Por que que o turismo tá subindo aqui no Brasil? Não é porque o Gilson [Machado Neto, ex-ministro do Turismo] é um cara bonito, não –o sanfoneiro. Também o cara foi curtir férias onde? Na Europa, conflagrada basicamente, tomada por pessoas que foram de outra região para lá. Alguém já viu uma mulher levando soco na cara? Alguém já viu? Já viu uma mulher levando soco na cara? Eu já vi, em vídeo do metrô lá de Paris. ‘Não tá com burca por que?’ ‘Pá!’ [corte no áudio]”.

Jair Bolsonaro – “Brasil. Dá para resolver? Dá! Tá com tempo? Tá com tempo e vamos resolver esse assunto. Eu vou fazer minha parte, tenho certeza que todos vocês farão a sua parte. Alguém mais quer falar sobre esse assunto?”.