IPCA: Inflação acumula alta de 4,65% e volta para dentro da meta

IPCA: Inflação acumula alta de 4,65% e volta para dentro da meta
IPCA: Inflação acumula alta de 4,65% e volta para dentro da meta
Renda Fixa, inflação , IPCA
Em março, oito dos nove grupos pesquisados no IPCA apresentaram alta, sendo que a inflação foi puxada pelo grupo de Transportes. (Imagem: Mehaniq)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, subiu 0,71% em março, desacelerando-se em relação à alta de 0,84% apurada em fevereiro. O resultado veio abaixo da mediana projetada pelo mercado, de 0,77% e é o menor para o mês desde 2020.

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula alta de 2,09% nos primeiros três meses do ano.

O indicador desacelerou a alta acumulada em 12 meses até março para +4,65%, de +5,60% no mês anterior. O resultado também ficou abaixo da mediana projetada pelo mercado, de +4,71%.

Trata-se da menor variação desde janeiro de 2021. Na época, o IPCA de 12 meses somava 4,56%.

Com esse resultado, a inflação ficou abaixo do teto da meta do Banco Central para 2023, de 4,75%. É a primeira vez que o acumulado volta para as bandas da meta desde fevereiro de 2021, quando o teto era de 5,25%.

Mont Capital - Carteira Administrada

  • Entre para o Telegram do Market Insider News! Acompanhe as notícias sobre mercado financeiro, investimentos e finanças pessoais. Notícias de hoje sobre assuntos que mexem com o seu bolso. Clique aqui e acompanhe em tempo real!

Grupos

Em março, oito dos nove grupos pesquisados no IPCA apresentaram alta. A exceção foi o segmento de artigos de residência (-0,27%%), que pode ter sido influenciado pelos descontos oferecidos na Semana do Consumidor.

A inflação foi puxada principalmente pelo grupo de transportes, responsável pelo maior impacto (0,43 ponto percentual) e maior variação (2,11%).

O produto que mais pesou no bolso do consumidor foi a gasolina, que avançou 8,33%. Já o etanol subiu 3,20%.

Já o grupo Saúde e cuidados pessoais foi impactado principalmente pela alta de 1,20% dos planos de saúde.

Veja a inflação nos grupos pesquisados

Grupo Variação (%) Impacto (p.p.)
Alimentação e bebidas 0,05 0,01
Habitação 0,57 0,09
Artigos de residência -0,27 -0,01
Vestuário 0,31 0,01
Transportes 2,11 0,43
Saúde e cuidados pessoais 0,82 0,11
Despesas pessoais 0,38 0,04
Educação 0,10 0,01
Comunicação 0,50 0,02