Ibovespa Futuro sobe quase 1%, com atenção à viagem de Lula para a China e com inflação abaixo do esperado

Ibovespa Futuro sobe quase 1%, com atenção à viagem de Lula para a China e com inflação abaixo do esperado
Ibovespa Futuro sobe quase 1%, com atenção à viagem de Lula para a China e com inflação abaixo do esperado

O Ibovespa Futuro opera com baixa nos primeiros negócios desta terça-feira (11), com investidores repercutindo a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que desacelerou para 0,71% em março, abaixo dos 0,77% previstos pelo consenso Refinitiv.

Nos últimos 12 meses, o indicador acumula alta de 4,65%. No ano, a inflação acumula avanço de 2,09%.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ministro da Fazenda, Fernando Haddad, embarcam hoje em viagem à China, com expectativas de que a proposta do governo federal para uma nova âncora fiscal seja entregue pela equipe econômica até sexta-feira (14).

Às 9h14 (horário de Brasília), o índice futuro com vencimento em abril operava com alta de 0,94%, a 103.060 pontos.

Ibovespa hoje: acompanhe o que movimenta Bolsa, Dólar e Juros Ao Vivo

Em Wall Street, os índices futuros de Nova York viraram para leve queda após abertura positiva, à medida que investidores montam posições às vésperas do índice de preços ao consumidor (CPI) de março, que deve dar sinais sobre como BC americano lidará com sua política monetária na reunião de maio.

Além disso, investidores estarão atentos as falas do presidente do Fed de Chicago, Austan Goolsbee, do presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, e o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari.

Nesta manhã, Dow Jones Futuro caía 0,04%, S&P Futuro recuava 0,02% e Nasdaq Futuro tinha baixa de 0,16%.

Dólar

O dólar comercial operava em queda de 0,26%, cotado a R$ 5,052 na compra e R$ 5,053 na venda. Já o dólar futuro para maio caía 0,41%, a R$ 5,066.

No mercado de juros, os contratos futuros operam com forte baixa, após desaceleração da inflação ao consumidor no mês de março. O DIF24 (janeiro para 2024) opera com baixa de 0,05 pp, a 13,17%; DIF25, -0,10 pp, a 11,88%; DIF26, -0,08 pp, a 11,76%; DIF27, -0,08 pp, a 11,89%; DIF28, -0,07 pp, a 12,08%; e DIF29, -0,08 pp, a 12,30%.

Mont Capital - Carteira Administrada

Exterior

Os mercados europeus operam com alta nesta terça após um feriado de Páscoa prolongado, com a maioria dos setores e principais bolsas negociando no azul.

As ações de mineração operam com fortes ganhos de 3%, seguidas por automóveis, que sobem cerca de 1,3%. Alimentos e bebidas é o único setor a negociar em território negativo, com queda de 0,1%.

Os mercados asiáticos fecharam com alta em sua maioria, com o Banco da Coreia mantendo as taxas de juros em 3,5%, em linha com as expectativas. O BC sul-coreano manteve as taxas pela segunda vez consecutiva enquanto o país enfrenta uma taxa de inflação de 4,2%.

O bilionário Warren Buffett disse ao Nikkei que planeja aumentar suas participações em ações japonesas. Em entrevista à Bolsa japonesa, Buffett disse que está considerando investimentos adicionais que aumentariam suas participações nas cinco principais tradings do Japão, mencionando sua participação de 7,4% na Itochu.

A inflação da China de março, por sua vez, ficou abaixo do esperado em 0,7%, contra expectativas de um aumento de 1% do índice de preços ao consumidor em comparação com o ano anterior.

O índice de preços ao produtor também caiu 2,5% em relação ao ano anterior, em linha com as previsões da Reuters e depois de registrar uma queda de 1,4% no mês anterior.

As cotações do petróleo operam com alta, com traders avaliando os cortes de produção da Opep + que apertariam o mercado global contra preocupações sobre novos aumentos nas taxas de juros que podem prejudicar a demanda.

Os preços do minério de ferro na China fecharam com alta após tombo da véspera, influenciados por uma demanda por aço abaixo do esperado.