O ano virou, mas a temporada de grandes negócios no setor de petróleo e gás que teve início no segundo semestre de 2023 está tendo sequência. Agora, quem está movimentando esse calendário são, novamente, duas companhias americanas.

Nesta segunda-feira, 12 de fevereiro, a Diamondback Energy e a Endeavor Energy Resources anunciaram um acordo para a fusão de suas operações e a criação de uma empresa independente na Bacia do Permiano, no Novo México e Texas, Estados Unidos, em uma transação avaliada em US$ 26 bilhões.

Pelos termos acordados, a operação incluirá US$ 8 bilhões em dinheiro, além de dívidas da Endeavor Energy e da emissão de 117,3 milhões de ações ordinárias da Diamondback Energy, que irá deter aproximadamente 60,5% da nova companhia. A Endeavor ficará com os 39,5% restantes.

“Essa combinação cumpre todos os critérios exigidos para uma fusão bem-sucedida: lógica industrial sólida, com sinergias tangíveis, melhor alocação combinada de capital e um acréscimo financeiro significativo no curto e longo prazo”, afirmou, em nota, Travis Stice, chairman e CEO da Diamondback.

CEO da Endeavor Energy Resources, Lance Robertson acrescentou: “Esperamos trabalhar juntos para expandir nossos negócios combinados, gerar valor para todos os stakeholders e assegurar que nossa nova empresa esteja posicionada para o sucesso no longo prazo.”

No comunicado, as duas empresas destacaram alguns dos ganhos estratégicos e financeiros potenciais da operação combinada, prevista para ser concluída no quarto trimestre de 2024. Entre eles, um volume de sinergias anuais de US$ 550 milhões e uma produção combinada de 816 mil barris por dia.

A nova empresa resultante do acordo será sediada na cidade de Midland, no Texas. Após a conclusão da transação, o conselho da administração passará a ter 13 membros, com Robertson e Charles Meloy, da Endeavor, integrando o board, além da escolha conjunta de dois conselheiros independentes.

Mont Capital - Carteira Administrada

Segundo o Financial Times (FT), no processo, a Diamondback Energy superou a concorrência da também americana ConocoPhilips, criando, assim, o terceiro maior produtor da região, atrás apenas da Exxon Mobil e da Chevron, outros dois players dos Estados Unidos.

Fundada em 2000, pelo bilionário Autry Stephens, a partir de um negócio que evoluiu da exploração de uma única plataforma, ainda em 1979, a Endeavor Energy Resources produziu cerca de 400 mil barris de petróleo por dia no fim de 2023.

Essa disputa não foi, porém, a única a movimentar o setor nos últimos meses. Outros acordos só reforçam que, apesar do tão alardeado fim do petróleo, o segmento segue sendo o combustível para grandes negociações, envolvendo players gigantes e cifras bilionárias.

Um dos acordos que integram essa onda de consolidação no setor foi a compra da Pioneer Natural Resources pela Exxon Mobil, em setembro de 2023, por US$ 60 bilhões. Duas semanas depois, a Chevron desembolsou US$ 53 bilhões na aquisição da Hess.

Na sequência, em dezembro, a Occidental Petroleum adquiriu a CrownRock, também no Texas, por US$ 10,8 bilhões. E, em janeiro desse ano, a Chesapeake Energy anunciou a compra da Southwestern Energy, em uma transação avaliada em US$ 4,5 bilhões, criando a maior produtora de gás natural dos Estados Unidos.

As ações da Diamondback Energy estavam sendo negociadas com alta de 7,38% por volta das 9h40 (horário local) na Nasdaq. A empresa está avaliada em US$ 29,4 bilhões.