calendar
Notícias

48 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Fome na Argentina não se resolve com arrogância, diz sindicato

Fome na Argentina não se resolve com arrogância, diz sindicato

Política 2 minutos atrás
Visitar site arrow
Fome na Argentina não se resolve com arrogância, diz sindicato

A CGT (Confederação Geral do Trabalho), uma das principais centrais sindicais da Argentina, criticou a ministra do Capital Humano, Sandra Pettovello, por não ter recebido os manifestantes que formaram uma fila de mais de 20 quarteirões na 2ª feira (5.fev.2024) em frente a sede de do órgão. Segundo a central sindical, a ministra “exibiu a atitude política do governo nacional face às reivindicações” de organizações sociais.

A fila foi formada em resposta a uma declaração de Pettovello feita na 5ª feira (1º.fev). Um grupo foi à sede do ministério denunciar a redução da assistência alimentar a restaurantes comunitários. A ministra saiu do edifício e disse: “É assim que vou fazer. Vocês estão com fome? Venham um por um, vou anotar seu número de identificação, seu nome, de onde vocês são e vocês receberão ajuda individualmente”.

Depois da declaração da ministra, organizações sociais organizaram a chamada “fila contra a fome”, iniciada na porta do Ministério do Capital Humano. O porta-voz da Presidência, Manuel Adorni, disse que a ministra não receberia as pessoas. “Não era a intenção da ministra que as pessoas passassem mal ao Sol com estas temperaturas”, declarou. Pouco depois, a própria ministra declarou que não havia convocado as pessoas e que não as receberia.

O último elo da dignidade humana esgota-se quando a necessidade mais básica, que é alimentar, não pode ser satisfeita”, escreveu a CGT em um comunicado divulgado na noite de 2ª feira (5.fev) no X (antigo Twitter).

Perante a condição urgente da fome, não pode haver outra prioridade senão uma resposta ativa e uma atitude de compaixão” que se sobreponha “a qualquer posição ideológica”, disse a central sindical.

A CGT declarou que não se pode esperar para resolver “a situação de indigência e pobreza estrutural de pessoas vulneráveis”. Segundo a organização, “o risco de uma crise alimentar com consequências imprevisíveis” está próximo, uma vez que “as diferentes variáveis econômicas” estão “compondo um panorama invulgarmente crítico” para os próximos meses.

Não é com a arrogância de fechar as portas a quem reclama, nem com a indiferença de se fazer de surdo a quem precisa, que conseguiremos avançar num quadro de sanidade e diálogo em busca de soluções”, concluiu.


Leia mais:


Assista a imagens da manifestação de 2ª feira (5.fev.2024):

 

Mont Capital - Carteira Administrada

Con la estupidez que dijo, Pettovello se autogeneró una manifestación de más de 5 km de gente. Pasa cuando ponés de ministra a alguien que no tiene idea, cuyo único mérito consiste en ser asistente terapéutica de Milei y manejarle los ataques de ira. Un gobierno de improvisados. pic.twitter.com/0IclbCoRLv

— Todo Negativo (@TodoNegativo) February 5, 2024

Miles de personas con hambre esperando que la HIJADEREMILPUTA de Pettovello los reciba. No puede, hoy tenía turno en la pelu y después un coach ontológico.
Son el peor gobierno de la historia.

BASTA DE MILEI pic.twitter.com/DwBIOkPxEN

— M (@MatiConurbasic) February 5, 2024

Algo en común que tienen todos estos que esperan para ver a Pettovello.
1. Tienen mejores celulares que cualquier laburante
2. Se los ve bien nutridos
3. Se los ve con buena condición física para laburar.
4. Tienen cara de Kirchos. pic.twitter.com/j3kQmmwlK6

— Daniel. El Ad.ministrador (@Daniel67735075) February 5, 2024

La ministra de Capital Humano, Sandra Pettovello, aseguró que no recibirá a los grupos piqueteros que este lunes se manifestaron frente a su oficina por alimentos para comedores populares: “Yo no cité a la gente para que esté bajo el sol, los convocaron los dirigentes”, sostuvo. pic.twitter.com/0CqxSKPS0B

— mavica (@mavica7) February 5, 2024

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados