calendar
Notícias

605 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Exército suspende portaria que aumentava acesso de armas restritas

Exército suspende portaria que aumentava acesso de armas restritas

Política 1 mês atrás
Visitar site arrow
Exército suspende portaria que aumentava acesso de armas restritas

O Exército Brasileiro suspendeu a portaria que permitia a ampliação do acesso a armas restritas a policiais militares, bombeiros, funcionários da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e do GSI (Gabinete de Segurança Institucional). A portaria permitia até 5 artefatos de uso restrito (fuzis, por exemplo). 

Em nota, a Força informou que a portaria, que entraria em vigor na 5ª feira (1º.fev.2024), foi “suspensa a fim de permitir tratativas junto ao Ministério da Justiça e Segurança Pública”. O ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski assume o comando do órgão na mesma data.

A portaria também permitia que os contemplados pudessem comprar 600 munições por arma anualmente. A regulamentação é semelhante à estabelecida para os militares que poderão ter 6 armas, sendo 5 de uso restrito.

A portaria do Exército com a PF (Polícia Federal) estabelecia que as armas restritas são as que os disparos não liberam uma energia cinética superior a 1.750 joules. Por exemplo, os fuzis AR-15, da fabricante Colt, e o T4, da empresa Taurus.

Mont Capital - Carteira Administrada

Leia abaixo a íntegra da nota do Exército:

“O Centro de Comunicação Social do Exército informa que a Portaria 167 – COLOG / CEx, de 22 de janeiro de 2024, que regulamenta a aquisição de armas de fogo e munições por integrantes das Polícias Militares, Corpos de Bombeiros Militares e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, terá sua entrada em vigor, prevista para 1º de fevereiro, suspensa a fim de permitir tratativas junto ao Ministério da Justiça e Segurança Pública”.

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados