calendar
Notícias

607 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Credores se movimentam após Light pedir suspensão do pagamento de dívidas

Credores se movimentam após Light pedir suspensão do pagamento de dívidas

Mercado Financeiro 11 meses atrás
Visitar site arrow
Credores se movimentam após Light pedir suspensão do pagamento de dívidas

Um dia após a Light entrar na Justiça para suspender o pagamento de suas dívidas, um grupo de cinco agentes fiduciários e bancos reagiu e declarou o vencimento antecipado das dívidas da companhia.

Em comunicado na quarta-feira, 12 de abril, a empresa privada de geração, distribuição e comercialização de energia elétrica informou que Pentágono, Morgan Stanley, XP Investimentos CCTVM, Vórtx e a Simplific Pavarini enviaram em 11 de abril à Light notificação sobre a decisão.

Além desse grupo, gestoras que representam mais de 30 mil investidores pessoa física, que detêm os títulos de dívida da empresa de energia, também foi à Justiça para evitar o não pagamento.

Para evitar justamente esse tipo de movimento dos credores, a Light recorreu à Justiça, por meio de uma liminar, com pedido de urgência, para suspender o pagamento dos dívidas.

Na petição à Justiça, a Light alega querer evitar medidas por credores que possam gerar um “efeito cascata” de cobrança, que podem resultar em “prejuízos incalculáveis” para a empresa e os credores.

Ela também visa, de acordo com a companhia, buscar uma solução via mediação, sugerindo que os trabalhos sejam realizados pelo Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem (CBMA).

Mont Capital - Carteira Administrada

A companhia também detalhou quais obrigações financeiras são abrangidas pela medida cautelar. Somando os saldos das debêntures, empréstimos e emissões internacionais citadas, o valor é de mais de R$ 11 bilhões.

Justificativas da Light

A Light atribui parte dos problemas que vem enfrentando a “perdas não-técnicas”, no caso, furtos de energia e ligações clandestinas. Segundo a empresa, somente em 2021, o prejuízo decorrente de furtos alcançou cerca de R$ 600 milhões.

Outro ponto que pesou para a companhia entrar na Justiça foi a determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de que a Light devolvesse créditos fiscais relacionados à cobrança indevida de PIS/Cofins dos consumidores finais. A companhia cumpriu a medida e devolveu R$ 374,2 milhões no reajuste de 2021 e R$ 1,05 bilhão no reajuste de 2022.

Ao final de dezembro de 2022, houve revisão tarifária extraordinária, baixando em 5,89% negativo por conta da devolução.

Ela destacou ainda que vem sendo alvo de “rumores de mercado” a respeito de sua situação financeira, afirmando que medidas como a contratação da Laplace Finanças, para ajudar na reestruturação de seu capital, foram tratadas em tom “sensacionalista”.

Por volta das 10h30, as ações da Light subiam 2,37%, a R$ 2,16. Pouco tempo depois, elas recuaram para estabilidade. Em 12 meses, os papéis acumulam queda de 77,3%, levando o valor de mercado a R$ 804,7 milhões.

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados