calendar
Notícias

557 publicados hoje

  • Home
  • arrow
  • arrow
  • Com IPCA dentro da meta e às vésperas do Copom, Campos Neto vai ao Senado dar explicações sobre Selic

Com IPCA dentro da meta e às vésperas do Copom, Campos Neto vai ao Senado dar explicações sobre Selic

Economia 11 meses atrás
Visitar site arrow
Campos Neto, Haddad, IPCA
Campos Neto é convidado para sessão no Senado (Imagem: REUTERS/ Adriano Machado)

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foi convidado pelo Senado Federal a dar explicação sobre o atual patamar da taxa básica de juros (Selic), inalterado em 13,75% ao ano desde agosto passado.

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado marcou o encontro para o dia 25 de abril, uma semana antes da próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

A sessão com Campos Neto acontece após a divulgação do IPCA de março pelo IBGE. Segundo o instituto, a inflação oficial do país avançou 0,71% no último mês, abaixo da mediana projetada pelo mercado, de 0,77%. Além disso, o indicador desacelerou a alta acumulada em 12 meses até março para +4,65%, de +5,60% no mês anterior.

Com esse resultado, a inflação ficou abaixo do teto da meta do Banco Central para 2023, de 4,75%. É a primeira vez que o acumulado volta para as bandas da meta desde fevereiro de 2021, quando o teto era de 5,25%.

Desta forma, deve aumentar a pressão sob o Banco Central para um corte na taxa de juros.

Campos Neto tem sido alvo de críticas frequentes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que questiona a condução da política monetária em meio ao esfriamento da inflação, apontando para seus danos sobre a economia e a concessão de crédito no país.

  • Entre para o Telegram do Market Insider News! Acompanhe as notícias sobre mercado financeiro, investimentos e finanças pessoais. Notícias de hoje sobre assuntos que mexem com o seu bolso. Clique aqui e acompanhe em tempo real!

Debate sobre juros com Haddad

Além do convite para a sessão da CAE, Campos Neto também foi convidado para participar de um debate no dia 27 de abril no plenário do Senado.

Questionado sobre a participação no evento, Campos Neto afirmou que “está à disposição quando for necessário” após ressaltar a importância de o país discutir o porquê de atualmente ter a maior taxa de juros real do mundo. As declarações foram feitas durante encontro com empresários promovido pela Esfera Brasil.

Mont Capital - Carteira Administrada

Também foram convidados para o debate os ministros Fernando Haddad (Fazenda) e Simone Tebet (Planejamento).

Procurados pelo Money Times, os respectivos ministérios não confirmaram a participação de Haddad nem de Tebet no evento até a publicação desta reportagem.

O que esperar do debate

Protocolado pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), o requerimento para a sessão de debate destaca a importância do diálogo para “identificar os motivos por trás das elevadas expectativas inflacionárias e dos vultosos juros reais que predominam no Brasil”.

No documento, Pacheco afirma ainda que uma taxa básica de juros (Selic) elevada prejudica o cumprimento de alguns objetivos do Banco Central, como o de fomentar o pleno emprego.

“Ao mesmo tempo  em que não é viável o aumento descontrolado de preços, […] também não é desejado o sufocamento da economia no curto prazo”, escreve.

Além de Campos Neto, Haddad e Tebet, foram convidados para o debate representantes do mercado e do setor produtivo, além de economistas e especialistas, como Armínio Fraga, Marcos Lisboa, entre outros.

*Com informações de Reuters

Mont Capital - Fale com um de nossos especialista

Relacionados