Celso Amorim diz que visita de Lula à China foi mais ampla que aos EUA

Celso Amorim diz que visita de Lula à China foi mais ampla que aos EUA
Celso Amorim diz que visita de Lula à China foi mais ampla que aos EUA

O embaixador Celso Amorim (foto), assessor especial internacional da Presidência da República, disse em entrevista ao jornal chinês Global Times que a visita do presidente Lula à China foi mais ampla que a viagem aos Estados Unidos

Ao comparar as viagens oficiais, Amorim disse que a visita aos EUA foi estritamente política

“Não houve muita discussão, talvez um pouco sobre meio ambiente, mas a discussão não foi tão ampla como nesta visita aqui”, afirmou.

Ainda sobre os Estados Unidos, o ex-chanceler afirmou que o governo Joe Biden teve um papel importante ao rejeitar uma tentativa de golpe que aconteceu no Brasil logo após a eleição do presidente Lula”

“Em outros assuntos como política internacional, podemos ter muitas visões diferentes, mas essa defesa da democracia no Brasil foi importante”, acrescentou.

Mont Capital - Carteira Administrada

Amorim também comentou as negociações com países do Brics sem uso do dólar e disse ver com naturalidade “fazer nosso próprio comércio em nossas próprias moedas”.

“Se pudermos trabalhar com uma variedade de moedas e usar nossas próprias moedas em grande escala, essa é a melhor opção. Se isso pode evoluir para uma moeda comum para os Brics, ou se mantivermos nossa moeda nacional é algo que ainda não está totalmente claro. Mas acho muito importante estarmos livres do domínio de uma moeda única, porque às vezes ela é usada politicamente.”

Em sua viagem à China, Lula criticou o uso do dólar como moeda para negócios internacionais. No discurso na cerimônia de posse de Dilma Rousseff no banco dos Brics, o presidente defendeu o uso de uma moeda única entre os países do bloco, formados por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.